Os prejuízos do Chelsea no último exercício fiscal reduziram-se 32,4 por cento, para 44,4 milhões de libras (49,07 milhões de euros).

Desde que se tornou proprietário do clube em Junho de 2003, Roman Abramovich emprestou ao Chelsea mais de 700 milhões de libras (774 milhões de euros), uma dívida reduzida a metade em Fevereiro de 2009 quando o proprietário converteu parte em capital.

O Chelsea indica em comunicado que "os resultados financeiros do clube revelam que, após uma primeira conversão de metade da dívida, o resto do empréstimo sem juros concedido pela sociedade detentora controlada por Roman Abramovich foi convertido em capitais próprios, o que deixa o clube sem dívidas".

As dívidas do clube foram reduzidas praticamente a zero para permitir uma estabilidade no longo prazo, sublinhou o presidente do clube, Bruce Buck, citado no comunicado publicado no sítio Internet do Chelsea.

O Chelsea apresenta pelo quarto exercício consecutivo uma redução dos prejuízos, que em 2006 ainda ascendiam a 80,2 milhões de libras (88,7 milhões de euros).

O clube revelou, no mesmo comunicado, que o seu volume de negócios baixou 3,1 por cento, para 206,4 milhões de libras (228,12 milhões de euros).

O Chelsea indicou que reduziu fortemente no último exercício as duas despesas de capital, que diminuíram 84,3 por cento, para 16,9 milhões de libras (18,7 milhões de euros), na sequência da conclusão das obras de construção do ultramoderno centro de treinos de Cobham.

O clube londrino indicou que pagou 12,6 milhões de libras (13,9 milhões de euros) de indemnização ao antigo treinador do Chelsea e antigo seleccionador português Luiz Felipe Scolari e aos seus três adjuntos, demitidos de funções em Fevereiro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.