O treinador da União de Leiria, Manuel Cajuda, assumiu que a sua equipa entrou intranquila frente ao Olhanense devido aos problemas financeiros que o clube atravessa, e que ficou ainda pior depois de sofrer um golo em fora-de-jogo.

«Entrámos intranquilos por motivos que podem justificar alguma intranquilidade. A esta equipa acontece tudo: o primeiro golo é fora de jogo. Não estou a culpar o árbitro, mas, para quem já de si tem problemas, um golo fora de jogo deixa a equipa mais em baixo. 3-1 não me parece um resultado justificável», começou por dizer Manuel Cajuda.

A situação está cada vez mais complicada para a União de Leiria, último classificado do campeonato, mas o técnico português acredita que é possível a manutenção.

«Em relação ao início do jogo nada piorou, porque ficámos na mesma posição. Vamos lutar, enquanto nos deixarem lutar. A equipa tenta, joga, mas, pronto, temos de recuperar dois pontos em relação às duas equipas que estão à nossa frente. Não sendo um quadro muito bonito, também não é um quadro para jogar para a rua já», referiu Cajuda.

«Se todos dermos as mãos, se todos lutarmos e tivermos a humildade de, acima de tudo, lutar pela União de Leiria, é possível não cair. E eu acredito nisso. Se todos fizermos as nossas obrigações, a União de Leiria não desce», acrescentou ainda o técnico.

Para além dos maus resultados que a equipa atravessa, o clube está também a passar por sérios problemas financeiros, algo que não deixa Manuel Cajuda satisfeito.

«Quem gosta da União de Leiria está a sofrer. A administração, seguramente, também está a sofrer [por causa dos ordenados em atraso]. A situação não é agradável para ninguém, nem para mim, nem para os jogadores, nem para a administração», terminou Manuel Cajuda.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.