O médio Ruben Amorim, do Sporting de Braga, admitiu hoje a possibilidade de se sagrar campeão nacional de futebol, mas apenas pelo clube minhoto e não pelo Benfica, clube que o emprestou aos bracarenses.
"A ser campeão, neste momento, só posso ser pelo Braga, é o único clube onde me posso considerar campeão. Sim, já joguei pelo Benfica, mas neste momento estou no Braga e, se ganhar alguma coisa, será pelo Braga e não pelo Benfica", frisou o jogador no final de uma visita à Escola EB1 da Sé de uma comitiva "arsenalista".
O jogador chegou a Braga em janeiro, emprestado pelo Benfica por uma temporada e meia, e reconheceu que "há umas semanas ninguém pensava" que as duas equipas estariam agora lado a lado na tabela classificativa, ambas com 49 pontos, a três do líder, o FC Porto.
"Mas agora vejo com naturalidade, o Benfica fez maus resultados, o Braga conseguiu vencer os seus jogos e encaro com normalidade essa situação", disse.
Respeitando o discurso oficial do clube, de não assumir a luta pelo título, o médio introduziu uma novidade: o objetivo agora já é terminar na terceira posição, classificação inédita no clube, e não apenas entre os quatro primeiros.
"O Braga já provou que pode vencer todos os jogos em que entra, mas os nossos objetivos são diferentes dos do Benfica e do FC Porto, é o terceiro lugar, estamos bem encaminhados, depois logo se vê", disse.
O jogador recusou ainda existir uma pressão acrescida pela classificação atual da equipa, porque "o Braga já tem vindo a habituar os seus adeptos [a isso] e já tem jogadores com algum estatuto que já estão habituados. Por exemplo, o ano passado foram à final da Liga Europa e não é por estarem nos lugares cimeiros que há mais nervosismo ou pressão, é normalíssimo".
Ruben Amorim, de 27 anos, foi pré-convocado pelo selecionador nacional, Paulo Bento, para o recente particular com a Polónia, mas não integrou depois o lote final, situação idêntica a outros quatro jogadores do Sporting de Braga - Quim, Custódio, Hugo Viana e Nuno Gomes.
O jogador não sabe se estar a jogar com regularidade no Braga aumenta as suas hipóteses de representar a seleção no Euro2012, mas disse já ser "tempo de deixar bem claro" que "essa não foi a razão" pela qual saiu do Benfica, "foram outras as razões".
Confrontado sobre se Jorge Jesus continuar no comando técnico do Benfica, o regresso ao clube da Luz ser impossível, respondeu: "Nem gosto de falar sobre isso, acho que isso é óbvio para toda a gente, para mim e para as pessoas do Benfica. Agora estou no Braga e muito feliz, foi a melhor opção que podia fazer para a minha carreira, estou extremamente satisfeito", disse.
Sobre o jogo com a União de Leiria, da 22.ª jornada, no sábado, às 18:00, no Estádio Municipal de Braga, notou que a equipa orientada por Manuel Cajuda "foi das poucas que roubou pontos ao Braga, venceu o jogo na primeira volta" e que, por isso", "é sempre de desconfiar".
"Não há jogos fáceis neste momento, o Leiria também tem o objetivo de ficar na Liga e vai ser um jogo complicado, como todos", disse.
O Sporting de Braga continua na sexta-feira a preparação para o jogo com os leirienses, estando marcada a conferência de imprensa de antevisão da partida do treinador, Leonardo Jardim, para as 12:30.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.