Ricardo Gonçalves, diretor de operações da Academia de Alcochete, revelou à GNR do Montijo que recebeu um aviso às 16h55 do dia 15 de maio, cerca de 14 minutos antes do ataque de cerca de 50 adeptos ao centro de estágio do Sporting, às 17h09.

De acordo com o jornal Expresso, que teve acesso aos autos da GNR, o responsável foi informado por Bruno Jacinto, oficial de ligação do clube 'leonino' com os adeptos, de que elementos da claque Juventude Leonina estariam a caminho da Academia "para falar com a equipa".

Ricardo Gonçalves acabou por contactar o comandante do posto da GNR de Alcochete para o avisar da invasão. De acordo com os dados oficiais da GNR, os militares foram alertados às 17h06 e chegaram à Academia às 17h20, sendo que jogadores e staff do Sporting foram surpreendidos pela entrada do grupo de encapuzados.

O porteiro da entrada principal, Rui Falcão, não terá sido avisado por Ricardo Gonçalves, sendo que o portão da entrada principal estava aberto aquando da chegada dos agressores.

No relato dado à GNR, Rui Falcão garantiu que nada podia fazer para controlar a situação, uma vez que o grupo encontrava-se em "grande superioridade numérica" e deslocava-se em passo de corrida "com aspeto ameaçador e intimidatório".

O porteiro acabou por se refugiar na cabina e tentou avisar Ricardo Gonçalves da invasão mas este encontrava-se noutro local da Academia, juntamente com a equipa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.