De acordo com a edição de hoje do jornal A Bola, o avançado ‘leonino’ terá acusado “vestígios de alguma substância proibida” – testosterona - num controlo antidoping, sendo que a contra-análise teria sido tido negativa.

“A notícia em referência é falsa e especulativa, revela violação de confidencialidade legalmente protegida. A ADoP vai solicitar ao Instituto do Desporto de Portugal que esta violação de confidencialidade seja investigada e apurados os seus responsáveis”, lê-se no comunicado do organismo enviado à agência Lusa.

A ADoP acrescenta que “tal como acontece com Liedson e todos os demais atletas” as acções de controlo de dopagem “são obrigatórias e legalmente sigilosas e de conhecimento exclusivo” do organismo, do jogador e do clube que representa.

O comunicado da ADoP lembra ainda que, no estágio da selecção nacional de preparação para o Mundial2010, foi efectuada uma acção de controlo a sete jogadores da formação das “quinas”, incluindo Liedson, sem qualquer resultado positivo.

“Todos os intervenientes, jogadores e médicos da selecção nacional de Portugal, tiveram um comportamento ético e profissionalmente irrepreensível, recebendo e colaborando com respeito e civismo com a equipa de controlo da ADoP. O único incidente ocorreu com o seleccionador nacional Carlos Queiroz e foi, como é público, oportunamente participado ao IDP”, conclui o documento.

Hoje, também em comunicado enviado à Lusa, o Sporting confirmou que Liedson foi submetido em Janeiro a um controlo antidoping, do qual resultou a necessidade de realizar “estudos complementares”, que comprovaram a inexistência de infracção.

O Sporting observa que se trata “de uma situação cada vez mais comum em atletas de alta competição, em qualquer modalidade desportiva federada”, mas rejeitou que a substância que motivou os exames complementares seja testosterona, conforme noticia A Bola.

“O jogador Liedson foi submetido a um controlo de dopagem no final do mês de Janeiro de 2010. O controlo referido no ponto anterior gerou a necessidade de se proceder à realização de estudos complementares”, informa o comunicado do clube lisboeta.

O Sporting assinala que a Autoridade Antidopagem de Portugal “efectuou todos os estudos que entendeu por necessários, tendo concluído que o jogador Liedson não infringiu qualquer regra antidopagem”, e manifesta-se “sempre disponível” para a realização de futuros controlos.

O Sporting esclarece também que a condução do estudo por parte do Sporting, bem como a elaboração do respectivo relatório, esteve a cargo do director clínico do clube, José Gomes Pereira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.