O Benfica venceu esta quarta-feira o Marítimo por 6-0, e reforçou a pressão na perseguição aos mais diretos adversários na corrida aos primeiros lugares do campeonato. Três golos de rajada no primeiro tempo deram tranquilidade à equipa de Rui Vitória para gerir a vantagem até à goleada no segundo tempo.

No primeiro jogo de 2016 no Estádio da Luz, a equipa do Benfica redimiu-se perante os seus adeptos das exibições 'anémicas' dos últimos jogos para reforçar o estatuto de melhor ataque do campeonato.

E foi ao ataque que o Benfica abriu as hostilidades perante um Marítimo que logo nos instantes iniciais perdeu o guarda-redes Salin devido a uma lesão. Para o lugar do guardião francês entrou o jovem José Sá, que logo aos 12 minutos mostrou serviço com uma grande defesa a remate de Raúl Jiménez. O avançado mexicano surgiu na cara do guardião português e 'facilitou' no confronto com José Sá.

O Marítimo apresentou-se em Lisboa sem o autocarro estacionado na sua área, e sempre que conseguia espaço aventurava-se em terrenos mais adiantados. Aos 19 minutos, a formação de Ivo Vieira quase marcava por Dyego Costa, mas o remate cruzado do brasileiro foi desviado para canto por Júlio César. A formação madeirense não baixou de intensidade e logo nos minutos seguintes foi Lisandro Lopes a desviar um cruzamento que levava selo de golo para o remetente Dyego Sousa.

O jogo entrou então num período de menor fulgar com ambas equipas a lutar muito pela posse de bola, mas sem criar grandes situações de perigo. Antes da meia-hora de jogo os assobios das bancadas acabaram por ser silenciados quando Pizzi fez o primeiro golo do jogo aos 29 minutos. O médio português ganhou uma bola na área do Marítimo após passe de Carcela e num remate forte conseguiu colocar o esférico dentro da baliza de José Sá, contando ainda com um desvio de Briguel.

A vencer por 1-0, o Benfica continuou a insistir por jogadas pelo lado esquerdo, e aos 34 minutos alcançou o 2-0 pelo mesmo Pizzi, numa jogada muito semelhante ao lance do primeiro golo.

E ainda se festejava o golo dos encarnados nas bancadas quando Raúl Jiménez fez o 3-0 para mais uma explosão de festejos na Luz.
O Benfica foi a vencer para intervalo por 3-0, e parecia ter o jogo controlado no segundo tempo.

No regresso dos balneários, os treinadores não fizeram alterações e o jogo recomeçou praticamente com dois golos de grande penalidade do Benfica. Jonas foi chamado a converter os castigos máximos, e cimentou a liderança dos melhores marcadores com dois remates certeiros para o mesmo lado.

A vencer por 5-0, o Benfica não tirou o pé do acelerador, muito por culpa das bancadas, e logo após uma dupla substituição de Rui Vitória, Talisca sentenciou o marcador em 6-0.

Com o jogo completamento controlado, o Benfica poderia ter dilatado ainda mais a vantagem, nomeadamente num lance em que Raúl Jiménez surgiu isolado frente a José Sá e tentou um 'chapéu'. A reação das bancadas não foi positiva, e o avançado mexicano teve contacto, mais uma vez, com os adeptos do Benfica, que mesmo a vencer por 6-0 não deixaram de exigir mais golos.

Com esta vitória o Benfica reforça o terceiro posto, agora com 37 pontos, e ameaça o segundo lugar do FC Porto, que recebe o Rio Ave, enquanto o Marítimo e 10.º com 18.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.