O capitão do Sporting de Braga, Alan, disse hoje que, mais do que as arbitragens, devia discutir-se em Portugal questões como a dos salários em atraso em algumas equipas e o desemprego nos jogadores.

Questionado sobre o facto de as arbitragens estarem a ser muito visadas em Portugal esta temporada, o veterano jogador disse ser "normal, não é só aqui, esquece-se é de falar em coisas mais graves".

"Quais? Por exemplo o facto de muitos jogadores estarem desempregos e haver salários em atraso em muitas equipas", afirmou à margem de uma visita de uma deleção do Sporting de Braga à ala pediátrica do Hospital de Braga.

Com 36 anos, o jogador brasileiro está a fazer uma grande época, relacionando-a com a "paixão" com que ainda joga futebol.

"As pessoas pensam que a partir dos 30 anos os jogadores já não podem fazer o que faziam, mas estão completamente enganadas. O meu rendimento deve-se à paixão de jogar futebol, à minha família e aos adeptos", disse.

A boa campanha do Braga e a qualidade do seu futebol levam alguns observadores a colocá-lo como um dos candidatos ao título, mas Alan prefere arrefecer o ânimo dos adeptos.

"Para ser campeão não basta a qualidade do futebol, é preciso sorte também. Exige-se um nível de concentração muito elevado para não nos deixarmos deslumbrar e importa arrefecer a euforia dos adeptos", disse.

A vitória por 4-3, após prolongamento, sobre o Sporting, que colocou os minhotos nos quartos de final da Taça de Portugal, materializou um excelente momento do Sporting de Braga, que motivou até mensagens do Brasil, revelou.

"Foi um grande jogo, uma excelente vitória contra uma grande equipa. Jamor mais perto? Eliminámos um candidato à vitória na prova, mas só demos mais um passo. Ainda há equipas boas na Taça e temos que manter os pés no chão", avisou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.