Seis vitórias na I Liga, três na Liga Europa e uma na Supertaça. Para já, este é o histórico da equipa comandada por André Villas-Boas.

Uma grande noite para Otamendi, que além de se estrear a titular abriu o marcador no Estádio do Dragão. O defesa central roubou o lugar de Maicon e, aos 23 minutos, viu-se a marcar o primeiro golo da equipa azul e branca. Depois de um remate cruzado da direita de Hulk, Moretto não segurou a bola e Otamendi, sozinho, só teve de encostar e ouvir os gritos dos adeptos no Estádio do Dragão.

O FC Porto já tinha colocado a bola dentro da baliza de Moretto, logo aos 3 minutos, numa boa combinação entre Hulk e Falcao, mas o árbitro assinalou posição irregular ao brasileiro.

Durante toda a primeira parte, a equipa azul e branca “arrendou” a área algarvia,  dominando completamente o desafio. Aos algarvios restava-lhes defender com muitos jogadores.

A um minuto de terminar o primeiro tempo, Hulk, num grande arranque, percorreu meio relvado em excesso de velocidade, deixando a concorrência para trás, e marcou tranquilamente o segundo golo para os líderes do campeonato.

O brasileiro fez o quinto golo no campeonato, ostentando o título de melhor marcador da I Liga.

Na segunda parte, o jogo ficou mais equilibrado mas com a balança a pesar ligeiramente para a equipa da casa no que toca a oportunidades de golo.

O Olhanense teve ainda duas boas oportunidades para mexer o marcador mas a eficácia algarvia teimava em não aparecer.

Por falar em ineficácia, Falcao, um “matador” nato, esteve claramente em "dia não". O colombiano desperdiçou inúmeras oportunidades, o que levou o técnico Villas-Boas substituir o número 9 por Walter.

Mais três pontos para o Dragão, que já amealha 18 pontos em seis jogos, continuando invicto na I Liga.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.