Álvaro Sobrinho, presidente da Holdimo, acionista da SAD do Sporting, mostrou-se hoje “muito satisfeito” com a destituição de Bruno de Carvalho da presidência do clube e disse que apoiará quem “apresentar o melhor modelo de gestão”.

“Como sócio não tenho nenhum candidato, aquele que apresentar o melhor modelo de gestão, a melhor proposta para o clube, nós dois [o próprio e a Holdimo] não vamos discutir pessoas. Temos de ver os projetos que cada um apresenta, a fiabilidade dos mesmos e as soluções que são possíveis de alcançar dentro das limitações financeiras do clube, os ativos e a necessidade de capital que também tem. Os candidatos têm de ter soluções fiáveis e credíveis”, afirmou à agência Lusa.

Sobre os resultados da Assembleia Geral (AG) de sábado, na qual Bruno de Carvalho foi destituído com 71% dos votos, o empresário disse à Lusa que estava “imensamente satisfeito com a vitória esmagadora do ‘sim’”, considerando mesmo os resultados históricos.

“Foi o que eu estava à espera. Agora é pensar no futuro e tentar ao máximo diminuir os danos que a anterior direção causou. Temos agora uma perspetiva de que o Sporting melhore”, afirmou.

Questionado sobre uma possível recandidatura de Bruno de Carvalho, apesar de este já ter dito que não se apresentava a sufrágio, Álvaro Sobrinho disse que o ex-presidente “é passado” e que “nem põe isso como hipótese”.

“Nem sequer ele tem essa capacidade de se candidatar nem tem a possibilidade de se candidatar. Até setembro vamos ver o que foi feito na SAD, o que ele fez de facto e ver a dimensão dos problemas que temos ou não temos e saber se terá condições de se candidatar ou não”, frisou o empresário luso-angolano.

Sobre o futuro próximo do Sporting, depois de alguns meses de crise, disputas públicas e saída de vários futebolistas alegando justa causa, o acionista mostrou-se convicto de que o clube vai conseguir reerguer-se.

“Eu não só acho como tenho a certeza. Há de facto um impacto, e nós temos de ser realistas, houve efeitos na imagem do Sporting e do futebol portugueses, mas a votação de ontem [sábado] mostrou bem não só a maturidade dos sportinguistas e é um sinal claro de democracia, justiça e liberdade”, opinou.

Numa das mais concorridas assembleias gerais de sempre do Sporting votaram 14.735 sócios.

A AG foi convocada com o objetivo de decidir o afastamento ou a continuidade de Bruno de Carvalho, tendo os sócios decidido a sua saída com 71,36%, e foi a figura central de uma crise que se agudizou com a perda do segundo lugar na I Liga de futebol e a invasão de adeptos à Academia do Sporting, em Alcochete.

Notícia atualizada às 16h24

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.