O Sporting impôs-se este domingo por 1-0 na receção ao Moreirense, em jogo da 13.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, e ficou a apenas um ponto do terceiro lugar, ocupado pelo Famalicão.

O avançado brasileiro Luiz Phellype marcou o único golo do encontro, aos 70 minutos, cinco após ter substituído o espanhol Jesé, o que permitiu à equipa lisboeta voltar a vencer no campeonato, depois da derrota sofrida na ronda anterior, no estádio do Gil Vicente (3-1).

O Sporting consolidou o quarto lugar na I Liga, com 23 pontos, menos um do que o Famalicão, que sofreu no sábado a primeira derrota em casa na prova, por 3-2, imposta pelo Tondela, enquanto o Moreirense ocupa a 12.ª posição, com 14.

As equipas

Em relação ao último encontro, frente ao Gil Vicente para a Taça da Liga, Silas fez cinco alterações: com a saída de Renan Ribeiro, Coates, Miguel Luís, Luiz Phellype e Acuña para as entradas de Max, Mathieu, Vietto, Jesé e Borja.

Onze do Sporting: Luís Maximiano, Ristovski, Luís Neto, Borja, Mathieu, Bruno Fernandes, Wendel, Doumbia, Bolasie, Luciano Vietto, Jesé.

Onze do Moreirense: Pasinato, João Aurélio, Iago, Steven Vitória, Abdu, Fábio Pacheco, Filipe Soares, Luther, Luís Machado, Fábio Abreu, Pedro Nuno.

O jogo

O Sporting entrou no jogo com a cabeça erguida e pronto para dominar. Do outro lado, o Moreirense tentava a todo o custo manter a posse de bola, mas com muita dificuldade. O Sporting aparecia muito forte no arranque de jogo.

Os leões iam somando oportunidade atrás de oportunidade, até que aos 12 minutos de jogo apareceu o primeiro golo do encontro. Borja cruzou atrasado para a área onde apareceu Bolasie totalmente à vontade, a atirar para o fundo das redes de Pasinato. Artur Soares Dias fez um compasso de espera para ouvir as indicações do VAR, e acabou por anular o golo leonino por fora-de-jogo de Borja.

Mas, o Sporting não acusou a anulação do golo e continuou à procura de mais um tento. Enquanto isso, o Moreirense ia 'sorrateiramente' chegando ao último terço adversário.

À meia hora de jogo, o Moreirense crescia no jogo e mostrava um setor defensivo bastante forte e eficaz a 'conter' a ofensiva leonina.

A primeira parte do encontro foi um conjunto de surpresas. O Sporting dominou a maior parte do tempo, mas o Moreirense teve também momentos de superioridade. Os homens de Silas tiveram mais posse de bola e aproveitaram os erros do adversário. Faltou apenas a finalização, para os dois lados.

Este encontro esteve ainda marcado por um recorde do Sporting, que conseguiu o maior número de remates de uma equipa na primeira parte na época 2019/2020. Os leões fizeram 16 remates nos primeiros 45 minutos.

A segunda parte trouxe um Sporting igualmente dominante. Os leões iam empurrando a equipa do Moreirense, que se ia encostado ao seu meio-campo.

No entanto, os leões colecionavam passes errados e muitas perdas de bola que comprometiam a preestação leonino. Os homens de Silas não conseguiam sair a jogar pelo corredor central, por mérito do Moreirense, que estava muito bem na marcação e não deixava espaço para que o Sporting conseguisse construir jogo.

Aos 65 minutos de jogo, Silas tirou o 'adormecido' Jesé e lançou Luiz Phellype com o objetivo de chegar ao golo. O esperado aconteceu e cinco minutos depois de entrar o avançado brasileiro inaugurou o marcador. Depois de um cruzamento de Mathieu, Luiz Phellype fez um cabeceamento certeiro e 'carregou' o Sporting à vantagem.

O jogo já seguia de feição para os homens da casa, mas aos 74 minutos o panorama melhorou ainda mais, quando Iago Santos foi expulso por acumulação de amarelos, depois de fazer falta sobre Bolasie, e deixou o Moreirense com apenas dez jogadores em campo.

Para descontentamento dos adeptos leoninos, o Sporting preocupou-se apenas em gerir a vantagem até ao final do jogo e 'desleixou-se' na procura pelo segundo. Com esta vitória, os leões continuam no 4º lugar da tabela com 23 pontos. Já o Moreirense mantém o 12ª lugar com 14 pontos.

O melhor

Numa equipa em que, normalmente, é Bruno Fernandes quem salta a vista, na noite deste domingo os protagonistas foram outros. Por um lado, Luiz Phellype, que marcou, fez várias desmarcações e somou ações ofensivas, na altura em que a equipa já tinha estagnado. A sua entrada ajudou muito a equipa leonina e tornou o ataque mais fluido. Do outro lado esteve Mathieu, sempre atento ao ataque do Sporting, mas sem nunca descurar a defesa. Foi ainda o autor da assistência para Luiz Phellype.

O pior

Numa noite especialmente desinspirada, Jesé não foi capaz de participar na construção do Sporting, falhou (vários) passes e não conseguiu finalizar. Acabou substituído (e bem) aos 65 minutos, para que o seu sucessor pudesse dar a vitória à equipa.

As reações

Silas: "Poderíamos ter feito mais golos"

Vítor Campelos: "No futebol, todos os resultados são justos"

Mathieu: "Não há segredo, há trabalho"

João Aurélio: "A expulsão complicou, mas não baixámos os braços"


O resumo

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.