Análise do Sporting 1-1 Belenenses: Ansiedade e juventude não justificam empate
Ansiedade foi a palavra utilizada que Marco Silva para justificar o empate do Sporting frente ao Belenenses, o terceiro em quatro jogos da Liga. A mesma ansiedade que tinha "atacado" a equipa frente ao Arouca e que só foi resolvida no último lance do encontro, num desvio de Mané.

Mas a ansiedade não justifica tudo. O técnico do Sporting falou também em juventude mas a verdade éque, do onze inicial, apenas Esgaio, Sarr e Nani não estavam na equipa titular no ano passado.
O Sporting empatou porque não soube ter paciência e calma para desferir os "golpes" na altura certa. Entrou bem no jogo, criou três situações de golo negadas por Matt Jones, o melhor em campo. Depois distraiu-se e deixou Deyverson receber sozinho um centro de Nélson. O brasileiro bateu Patrício e aumentou os tais níveis de ansiedade nos "leões. Na caça, a ansiedade de chegar cedo à presa pode fazer com que esta fuja. O timing é essencial.

Matt Jones, que estava a defender tudo, viu-se "traído" pelos colegas no golo do empate. Bruno China fez um passe para trás sem ver, Gonçalo Brandão não chegou a bola. Carrillo agradeceu e empatou. O peruano voltou a estar apagado, saiu no segundo tempo e voltou a mostrar falta de consistência.

Mas o Sporting apenas se pode queixar de si próprio. Criou oportunidades mais que suficientes para ganhar e, a jogar em casa, tinha a obrigação de fazer mais. Slimani parece não ter a "cabeça" totalmente "limpa", depois de ver falhada uma transferência para o estrangeiro. Esteve algum tempo a treinar sozinho, teve de suportar um processo disciplinar interno. Voltou para dar o empate na Luz mas não parece o mesmo Slimani da segunda metade da época passada. Ou o que esteve no Mundial.

Por outro lado, Nani parece começar a assumir a sua condição de líder deste Sporting. Pelas alas, no meio, o internacional português tentou desequilibrar mas não teve o acompanhamento dos colegas. Jefferson não foi tão incisivo como de costume, Esgaio esteve mais resguardado, Slimani parece ter perdido o "faro" de golo.

Mas há que dar mérito ao Belenenses. Foi sempre uma equipa unida, solidária, a jogar num bloco baixo, mas sem se esquecer de atacar. É certo que subia no terreno poucas vezes e com poucos homens mas tentou sempre ganhar. No segundo tempo Deyverson poderia ter dado os três pontos quando apareceu na cara de Patrício mas rematou contra o corpo do guarda-redes leonino.

Na "guerra" dos bancos Lito Vidigal parece ter levado a melhor sobre Marco Silva. Fredy entrou bem no encontro, Tiago Silva ajudou a conter os últimos minutos dos "leões". Apesar do empate, o técnico dos "azuis" de Restelo não saiu satisfeito de Alvalade. Lito Vidigal queria a vitória o que, a acontecer, teria sido injusto por aquilo que as duas equipas produziram. O brilhantismo de Matt Jones e a falta de pontaria do Sporting justificam o empate.

Marco Silva, além de lamentar o empate e as oportunidades falhadas, mostra-se preocupado com o facto de o Sporting estar já a quatro pontos do Benfica e poder ficar com seis de atraso em relação ao FC Porto, quando estão jogados apenas quatro jornadas. É que vem aí a Liga dos Campeões, o que implicará três jogos em sete dias. Algo desgastante para uma equipa com ambições de fazer melhor do que na época passada na Liga, ou seja, ser campeão.
Os próximos jogos dirão se este "leão" está preparado para enfrentar maratona de jogos às quartas e domingos. Na quarta-feira é preciso dar uma resposta convincente frente ao Maribor na Eslovénia e afastar de vez a tal ansiedade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.