Nove jogos para o Benfica de Roger Schmidt no campeonato, mas já não se pode falar numa equipa 100% vitoriosa. A última jornada frente ao Vitória SC ditou um empate para os encarnados, que rapidamente foi esquecida com uma exibição de gala para a Liga dos Campeões frente ao PSG (1-1).

Se esquecermos as diferenças entre os últimos adversários, vemos um Benfica sem vencer nos últimos dois jogos com a perspetiva de soar os alarmes na Luz.

Ainda assim, este não parece ser um momento de crise, mas apenas um aviso naquele que se prepara para ser um mês de enorme exigência: a visita ao terreno do Paris SG e ao Dragão aparecem como jogos de cartaz e os índices físicos são motivos de preocupação.

Será que Schmidt vai finalmente fazer alguma alteração na equipa? Para o encontro frente ao Rio Ave, a única lesão quase certa é a de Morato, sendo que Lucas Veríssimo e João Victor têm a oportunidade de finalmente regressar à equipa.

Neste espírito de rotatividade, também não seria descabido vermos a entrada de jogadores como Aursnes ou Draxler no onze inicial.

Do lado do Rio Ave, temos um regresso ao Estádio da Luz depois de um ano afastado da Primeira Liga. Os Vilacondenses são o décimo classificado, que já teve a missão de defrontar o Sporting e FC Porto. Contra os Leões, houve derrota em Alvalade por 3-0, mas contra os Dragões um triunfo contundente por 3-1 no Estádio dos Arcos.

Luís Freire, o homem do leme que conduziu a equipa à primeira divisão, deve ter a equipa na máxima força para defrontar o líder do campeonato.

Benfica e Rio Ave defrontam-se às 18h deste sábado em jogo da nona jornada do campeonato.

História favorável aos encarnados

A história de duelos entre Benfica e Rio Ave é bem extensa. No total, foram já 65 jogos entre estes dois históricos do futebol português com uma clara supremacia das Águias: 49 vitórias contra apenas cinco do Rio Ave. O resto foi distribuído em empates. Em golos, o registo goleador dos encarnados é superior com 139 golos face aos 48 do emblema de Vila do Conde.

Se olharmos só para jogos do campeonato no Estádio da Luz, foram 27 encontros com nenhuma vitória do Rio Ave, sendo que os visitantes conseguiram empatar por quatro ocasiões.

A maior vitória em casa do Benfica foi em 1979/80 com um triunfo por 8-0, sendo que o último jogo entre as duas equipas foi em 2020/21 com uma vitória da equipa de Jorge Jesus por 2-0 em casa. Seferovic e Pizzi deram o triunfo às Águias.

Recorde esse jogo

Momentos de forma 'tremidos'

Focando nos últimos três jogos, não há um registo propriamente vitorioso de ambas as equipas.

Começando por olhar para o Benfica, pese embora se trate do líder do campeonato e de ainda estar invicto na temporada, a verdade é que nos últimos três jogos, a única vitória foi a goleada frente ao Marítimo por 5-0 no dia 18 de setembro.

Depois, ficou registado o empate amargo em Guimarães (0-0) e um resultado mais animador frente ao PSG (mesmo tratando-se de uma igualdade a um golo).

Do lado do Rio Ave, nos últimos três jogos apenas uma vitória mas com uma derrota pelo meio. O caminho começou mal com uma derrota em casa com o SC Braga (2-3), mas a equipa levantou-se e conseguiu um empate fora com o Gil Vicente (2-2). O triunfo chegou mesmo na última jornada frente ao Santa Clara (1-0).

Olhando para a tabela, vão se defrontar o primeiro e décimo classificado do campeonato.

O que dizem os treinadores

Roger Schmidt, treinador do Benfica: "Todas as equipas estão motivadas para jogar com o Benfica, sentimos isso nos jogos fora de casa mas também em casa. As equipas são muito motivadas. Fico sempre impressionado com as abordagens dos outros treinadores. Quando vês os jogos do Rio Ave, eles acreditam em si mesmos, são corajosos, também jogam com cinco defesas, mas jogam um futebol ofensivo, por isso espero um jogo difícil desde o pontapé de saída."

Luís Freire, treinador do Rio Ave: "“Não é pelo facto de o Benfica estar muito bem que vai estar sempre muito bem, ainda reconhecendo que está a realizar um excelente campeonato. É um adversário com grande capacidade finalizadora, que costuma ter 70% de posse de bola, 20 remates por jogo em casa e um domínio avassalador. Temos de superar-nos para conseguirmos o que queremos, olhando para a outra baliza a marcar golos."

O árbitro do encontro será Manuel Oliveira, com assistência de Carlos Campos e Hugo Santos. Anzhony Rodrigues será o quarto árbitro e no VAR estará Rui Oliveira acompanhado por Luís Costa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.