O treinador Ricardo Sá Pinto queria dispensar o futebolista internacional português Trincão, agora no FC Barcelona, no ‘mercado' de janeiro, revelou hoje o presidente do Sporting de Braga, António Salvador.

"Numa reunião com o diretor de ‘scouting', em fins de novembro [de 2019], para preparar [o ‘mercado’ de] janeiro, o Sá Pinto queria dispensar o Trincão. Eu disse que isso era impossível, que não podíamos dispensar um dos maiores talentos do futebol mundial e isso verificou-se. O Trincão é um grande jogador que vai marcar uma década como o melhor jogador do futebol português", contou.

Trincão foi vendido em janeiro ao FC Barcelona por 31 milhões de euros, a maior transferência de sempre do Sporting de Braga, mas continuou até ao final da época nos minhotos.

António Salvador, que falava numa entrevista à NEXT, canal de televisão do clube que transmite na internet e que inaugurou novas instalações, deixou elogios a Carlos Carvalhal, "um dos melhores treinadores do futebol português e até da Europa", manifestando o desejo de continuar com o técnico mesmo após os dois anos de contrato.

Sobre a próxima época, disse não "prometer nada".

"[Em] cada jogo, seja em que campo for, vamos lutar pela vitória. Acredito que vamos fazer uma grande época. Não temos limite de ambição. Nesta casa ninguém convive bem com a derrota ou o empate. Queremos ganhar, seja com Benfica, Porto ou Sporting e na Europa", disse.

O presidente dos ‘arsenalistas' considera que o Sporting de Braga tem "um grande plantel", frisou que os reforços vieram "com o aval" do treinador e que, até ao fecho do mercado, "tudo pode acontecer", notando que, "se não sair mais ninguém, também poderá não entrar mais ninguém".

"Temos uma grande base, só saíram dois e que jogavam regularmente, um que foi jogando, o Palhinha, mas o Trincão só jogou na segunda volta, só jogou depois de o Sá Pinto sair do clube", lembrou.

Sobre Paulinho, disse ser um "jogador muito importante" sobre o qual tem recebido "muitas abordagens, mas não houve propostas concretas que servissem os interesses do clube".

"O Paulinho gostaria de dar um salto para uma liga competitiva. Além da questão financeira, acha que é o momento de sair, mas tem de perceber que, se não sair, tem de continuar a trabalhar para ser o melhor marcador do campeonato ou para ir à seleção nacional", notou.

António Salvador revelou ainda que a pandemia de covid-19 "ajudou" a que Gaitán visse para Braga.

"O futuro dele [pós-futebol] pode passar por Portugal e isso facilitou o acordo. Numa conversa com ele, disse-me que jogaria no Benfica ou Braga. Foi fácil chegar a um acordo com um jogador talentoso, que ainda vai dar muito ao futebol português, até pela humildade que tem", disse.

O dirigente elogiou a qualidade do futebol de formação do Sporting de Braga, destacando que não houve reforços para as equipas de sub-19, sub-23 e equipa B, e deu o exemplo de Rodrigo Gomes, vaticinado que será "um dos melhores jogadores portugueses".

"Os sócios têm de perceber que o Sporting de Braga é um clube vendedor, que para manter este nível temos de ter mais-valias anuais de 15 milhões de euros", disse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.