O FC Porto e o Benfica empataram esta sexta-feira a dois golos em jogo que abriu a sexta jornada da Primeira Liga de futebol.

Kléber, aos 35 minutos, colocou os dragões em vantagem, resultado que se manteve até ao início da segunda parte quando Cardozo empatou o encontro. Valeu ao FC Porto Otamendi, dois minutos depois do tento encarnado, a recolocar os azuis e brancos no comando. Só que a festa portista ficou ‘estragada’ quando Gaitán, empatou aos 83’.

Com este empate, as duas equipas mantêm-se na liderança em igualdade pontual e, caso o Sporting de Braga vença, estarão os três na frente.

O clássico começou bem, ainda fora das quatro linhas. Não houve incidentes de maior, num jogo considerado sempre de alto risco, e assim se manteve durante os 90 minutos. O ritmo, já em campo, também não era frenético, como em anos anteriores.

Na primeira parte, houve total domínio azul e branco. Jesus não mexeu na equipa e Vitor Pereira já pode contar com Hulk, que a bem da verdade, faz muita diferença. Foi dos pés do brasileiro que saíram as jogadas de maior perigo para a baliza de Artur. No primeiro minuto de jogo, já o ‘Incrível’ tentava fazer estragos. Arrancada do brasileiro, a passar por Emerson, a levar a bola até ao centro e a rematar com força, mas por cima. De novo, aos 11’, numa jogada idêntica e desta vez a bola passou a milímetros das redes encarnadas.

Um pouco antes, foi o Benfica, na jogada de maior perigo do primeiro tempo. Nolito cruzou para Cardozo, que chegou atrasado, quando era só encostar.

Continuou o FC Porto no comando e Fucile, aos 28’, a fazer Artur brilhar. O lateral uruguaio só tinha de encostar, depois de um bom passe de Guarin, novo falhanço.

O golo surgiu aos 35’, num cabeceamento de Kléber ao segundo poste. O FC Porto foi a vencer para o intervalo, mas tudo mudou assim que a partida recomeçou.

Sem muito fazer por isso, o Benfica, por Cardozo, aos 47’, igualou a partida, com Nolito a dar o tento ao paraguaio. A festa dos poucos benfiquistas durou escassos quatro minutos, já que Otamendi, na jogada seguinte, depois de um canto batido, com Varela a servir o companheiro de equipa e apanhar a defesa do Benfica em contra-pé. Foi, talvez, o melhor e mais emocionante momento do encontro.

Depois disso, o FC Porto tornou-se mais cauteloso, ainda que mantivesse o jogo ‘debaixo de olho’. No entanto, não foi suficiente e das poucas vezes que perturbou Helton, o Benfica acabou por ser muito eficaz. A oito minutos do final, Gaitán foi servido por Saviola, acabado de entrar para o lugar de Aimar, e a dupla a fazer o 2-2- Antes de entrara a bola ainda embateu na trave.

Porto e Benfica terminam a sexta jornada, ambos com 14 pontos e com 15 golos marcados (Benfica) contra os 14 do FC Porto. Nas contas destas seis jornadas, o Benfica é também a equipa com mais golos sofridos (7) contra os cinco sofridos pelos dragões.

Começa agora a preparação para a jornada europeia com o Benfica a jogar a 27 de Setembro (terça-feira) com o Galati e o FC Porto, a 28, com o Zenit. 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.