Diego Lopes tem apenas 15 anos, mas uma enorme responsabilidade: corresponder às expectativas que o apontam como sucessor natural do compatriota Kaká, colega da "estrela" portuguesa Cristiano Ronaldo no Real Madrid.

O médio ofensivo brasileiro é definido por Carlos Dinis como "um jogador claramente acima da média", mas o que mais impressiona o ex-treinador das selecções jovens de Portugal é a "frieza que demonstra na finalização, invulgar para a sua idade".

Diego Lopes chegou ao Estádio da Luz em finais de 2008, proveniente do Palmeiras, e contribuiu decisivamente para a conquista do título de iniciados, que escapava ao Benfica há 19 anos. Apesar de ser juvenil de primeiro ano já alinhou pelos juniores "encarnados".

Nelson Oliveira é ponta-de-lança e outra grande promessa do clube lisboeta. Tal como o colega da defesa Roderick Miranda estreou-se esta época nos juniores, mas Jorge Jesus já o chamou a prestar provas na equipa principal.

"Tem um percurso que fala por si tanto no Benfica como nas selecções nacionais. Antecipo-lhe um futuro grandioso, em especial porque se destaca numa posição em que temos grandes carências", observou Carlos Dinis, que passou por todos os escalões das selecções lusas, desde os sub-15 aos sub-21.

No rival Sporting destacam-se dois jovens africanos, o médio ofensivo Rabiu Ibrahim, que chamou a si os holofotes com as exibições pela selecção nigeriana, e o poderoso ponta-de-lança guineense Amido Baldé.

Carlos Dinis identifica em Rabiu uma "qualidade futebolística indiscutível", que levou Issa Hayatou, presidente da Confederação Africana de Futebol, a considerar o prodígio do Sporting o maior talento que viu nos últimos 50 anos.

O mesmo talento que levou o Sporting a pagar 800 000 euros por um jovem de 16 anos, que tinha acabado de se sagrar campeão mundial e africano de sub-17, com actuações que lhe valeram os títulos de melhor jogador e marcador da CAN e a comparação com Jay-Jay Okocha.

Baldé não trouxe consigo referências tão distintas, mas, aos 18 anos, as características físicas do avançado (1,93 metros e 85 kg), já lhe valeram a chamada à selecção nacional de juniores, depois de ter obtido a nacionalidade portuguesa.

No FC Porto desponta um médio de 17 anos - Sérgio Oliveira -, cujos dotes futebolísticos já levaram o tetracampeão português a segurá-lo com uma cláusula de rescisão de 30 milhões de euros.

Sérgio Oliveira entrou para história do clube portuense em Outubro, quando, aos 17 anos e quatro meses, se tornou o mais jovem a ser titular pelo FC Porto em partidas oficiais, frente ao Sertanense, para a Taça de Portugal.

Para Carlos Dinis, o médio dos portistas "tem condições para se tornar um jogador de eleição, com uma qualidade técnica e capacidade para ler o jogo acima da média, que o FC Porto não irá desaproveitar".

Sérgio Oliveira tem tido a companhia assídua do senegalês Abdoulaye Ba nas chamadas aos treinos da equipa principal, um defesa central de 18 anos que, tal como o colega nos juniores "azuis e brancos", é apontado como um dos futuros titulares do tetracampeão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.