“As vitórias consecutivas podem passar uma mensagem perigosa, permitindo determinado frenesim e elogios. Estamos sempre sujeitos a levar um tropeção, e caso isso aconteça o FC Porto deixará de ser bestial. Esta é a continuação de um percurso que não é nada anormal e o FC Porto tem de manter a dinâmica das vitórias. É verdade que existe um grande entusiasmo nesta equipa mas há um grande percurso pela frente. Respeitando as decisões do treinador anterior, que tanto sucesso trouxe a este clube, eu acho que esta nova organização dentro de campo é um estimulo para os jogadores”. Foi desta forma que André Villas-Boas explicou a senda de vitória alcançadas esta época, em conferência de imprensa, realizada este sábado, no auditório no Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, no Olival.

André Villas-Boas poderá somar na Choupana a sua nona vitória consecutiva, em jogos oficias da presente época, e o técnico falou de “bloqueios mentais” nas deslocações à Madeira.

“Além de não ser fácil, as deslocações à Madeira tornam-se um bloqueio mental. Na cabeça dos jogadores e treinadores são sempre complicados e é importante afastar esse bloqueio mental. É um jogo para ganhar, tal como todos os outros. O Nacional tem uma equipa forte mas vamos à Madeira jogar na máxima força”, explicou o técnico.

O técnico foi confrontado ainda pelas ausências de Walter e James Rodríguez no onze portista e André Villas-Boas justificou-se com a necessidade de “adaptação ao futebol português”, lembrando que Falcao é um jogador “de alto prestígio”.

O encontro entre Benfica e Sporting foi outro tema que não passou ao lado da conferência de imprensa do FC Porto, mas Villas-Boas preferiu não arriscar no nome do vencedor do dérbi lisboeta: “Temos oportunidade de ganhar pontos pelo menos a um dos nossos adversários directos. Vimos de oito vitórias consecutivas, mas apenas quatro na Liga. Não é nada de transcendente. Ganhar na Madeira e alargar a vantagem para Benfica ou Sporting pode ser um estímulo extra, sem dúvida.”

André Villas-Boas não deixou ainda de mostrar o seu ponto de vista quanto ao tema "Mourinho na Selecção Nacional": “Acho que tendo em conta o panorama eleitoral na Federação parece-me uma opção sensata. Sensata, porque é a oportunidade, tendo em conta a abertura que José mourinho demonstrou, de trazer o melhor treinador do mundo para a selecção. São dois jogos apenas e tendo em conta a disponibilidade de José Mourinho, parece-me uma boa opção”, justificou, acrescentando que não faz parte das suas ambições futuras ser seleccionador nacional.

O FC Porto defronta, esta segunda-feira, o Nacional da Madeira, na Choupana, às 19h45, no encontro que encerra a quinta jornada da I Liga, com arbitragem de Bruno Paixão.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.