O diretor de relações internacionais do Sporting afirmou que o arquivamento do caso dos `vouchers´ está relacionado com a influência do Benfica no sistema do futebol português.

“Foi uma decisão que já esperava. O Benfica domina o futebol português, tem os poderes todos, mas trata-se de algo ilícito, que salta à vista de todos. É uma tentativa clara de favorecimento para os próximos jogos, uma operação de charme em relação ao futuro e o Benfica conseguiu-o nos últimos dois anos”, disse Augusto Inácio, no programa Play-Off, da SIC Notícias.

“O Benfica reclama com alguns árbitros, mas nunca com o presidente do Conselho de Arbitragem [n.d.r. Vítor Pereira] porque está confortável. O próximo árbitro a assinalar um pénalti contra o Benfica será preso», continuou Augusto Inácio.

O dirigente acredita ainda que o processo disciplinar a Slimani resultou de “uma guerra e de uma pressão para que não deixassem cair o lance do avançado argelino com Samaris, no jogo da Taça de Portugal com o Benfica”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.