Ainda que não se tenha inaugurado o marcador, pertenceram ao Sporting as melhores oportunidades de golo. Tal como Paulo Sérgio anunciara, o Olhanense quer “apanhar o Sporting a dormir” para se colocar em vantagem. Mas nem de um lado nem do outro os jogadores parecem muito despertos.

A ambas as equipas tem faltado fio de jogo, com 20 jogadores a correr muito, mas sem destino aparente. Salvo duas boas jogadas do Sporting que fizeram suster a respiração, os outros momentos foram de semicerrar os olhos. O Olhanense defende bem e os leões não conseguem furar a muralha dos homens de Daúto Faquirá.

Ainda não estavam decorridos dois minutos e já André Santos disparava à baliza de Moretto, com a bola a bater nas malhas laterais. Seis minutos depois, Yannick Djaló não soube aproveitar a recarga a um livre de Matias mesmo à frente da baliza algarvia.

Aos 14’, o melhor momento do jogo, numa jogada ao primeiro toque. Yannick abre para João Pereira, que combina com Matias, o chileno remata de primeiro, mas contra a defesa algarvia, a bola sobrou para Liedson, que rematou por cima.

Sem a pontaria muito afinada, o Levezinho voltou a levantar as bancadas, com um cabeceamento à trave de Moretto (22’).

Aos 38’, após canto, Jardel meteu a bola na baliza do Sporting, mas André Gralha considerou haver falta sobre Rui Patrício e o golo não foi validado.

Ao intervalo, 0-0 é o resultado do marcador.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.