João Benedito apresentou a sua candidatura às eleições do Sporting. O antigo capitão da equipa de futsal dos 'leões' explicou as razões da sua candidatura. O antigo guarda-redes leonino quer unir o clube "com vitórias e por valores".

"A raça fez-me chegar ao topo do clube como atleta. O futuro faz-me voltar. Somos uma casa de campeões que conquistou vitórias por todo o mundo e chegou a hora de uma nova geração, mais preparada que nunca, aplicar uma cultura desportiva no clube. Queremos uma gestão à imagem dos campeões do Sporting. Estou rodeado de uma equipa de campeões. Apresentamos um projeto de futuro", disse o candidato.

Na apresentação da sua candidatura, Benedito explicou que irá criar a figura do "CEO transversal no clube e SAD, responsável por otimização de recursos"

"Queremos um Sporting independente, com controlo maioritário da SAD, sem perder participação e recomprar o que for viável. Queremos um Sporting sem âncoras do passado, sem sportinguistas mais notáveis que outros. Esta liderança é apoiada por uma equipa de campeões em várias áreas. Passará a existir a figura de CEO transversal no clube e SAD, responsável por otimização de recursos", explicou.

A lista de João Benedito é formada por antigos atletas do Sporting como Carlos Pereira, Ricardo Andorinho e Pedro Miguel Moura: "Temos mais de 1000 jogos ao serviço do Sporting. Sentíamo-nos invencíveis quando todos estavam ao nosso lado. Não se une o clube por chavões ou por decreto. Une-se com vitórias e por valores", justificou Benedito, explicando que o diretor para o futebol será um ex-atleta e campeão pelo clube.

Além disso, Benedito promete um modelo de governação diferente para o futebol do clube

"Para o futebol apresentamos um modelo de organização diferente do atual, coordenado pela administração da SAD assente em três áreas: sénior profissional, formação e Sporting perfomance. Temos um diretor desportivo, um ex-atleta, também campeão no clube. Temos um responsável por toda a formação, fará a ligação entre a direção técnica e as infraestruturas. Quem irá dirigir a SAD é o presidente do clube, escolhido pelos sócios. É com estas ideias que me apresento aos sócios do Sporting. Com sentido de dever, sinto que chegou a hora de retribuir tudo o que o Sporting me deu", explicou.

O antigo guarda-redes de futsal comentou ainda a possibilidade de Bruno de Carvalho ser seu adversário nas eleições do dia 8 de setembro de 2018.

"Não me cabe a mim decidir [sobre a candidatura de Bruno de Carvalho]. Qualquer sócio, desde que cumpra requisitos, pode apresentar nomes para formar listas. Bruno de Carvalho se for sócio, como é, e tiver a sua situação resolvida, pode vir a eleições. Se quem decide os superiores interesses do Sporting assim o conferirem e não for candidato, não o é. Se for, que venha de uma forma elevada para esta campanha", afirmou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.