O Benfica regressou às vitórias em grande estilo ao bater o Sporting de Braga por expressivos 6-1 no Estádio da Luz, num jogo que ficou praticamente resolvido numa ponta final de primeira parte de sonho por parte das 'águias'.

A atravessar uma série de resultados menos boa (três jogos seguidos sem ganhar e apenas uma vitória - muito suada - nos últimos cinco encontros), e até com Jorge Jesus a começar a ser alvo de alguma contestação, o Benfica cedo mostrou vontade de querer deixar para trás essa suposta 'crise' e marcou logo aos três minutos, por Grimaldo. O Braga ainda respondeu e fez o 1-1, mas a partir do momento em que Darwin Nuñez fez o 2-1 o Benfica não mais parou e Rafa bisou ainda antes do intervalo, deixando o resultado em 4-1 no final dos primeiros 45 minutos.

Depois, na segunda parte, foi o brasileiro Everton, outra das grandes figuras a noite, a bisar e a fixar o resultado em 6-1. Um triunfo que permite ao Benfica manter-se apenas um ponto atrás dos rivais FC Porto e Sporting na classificação e que deixa o Braga no 5º posto, atrás do surpreendente Estoril.

Benfica entra com tudo, Braga responde

Num embate entre duas equipas vindas de sortes diferentes a meio da semana (o Benfica goleado em Munique na terça-feira, para a Liga dos Campeões, o Braga vitorioso em casa na quinta-feira para a Liga Europa), foram as 'águias' que entraram melhor e marcaram logo a abrir.

Estavam decorridos apenas três minutos de jogo quando Darwin se desmarcou bem pela direita, deixou para trás um adversário com um excelente drible e cruzou com conta, peso e medida para o segundo poste, onde Grimaldo surgiu, vindo de trás e solto de marcação a finalizar de cabeça.

O Braga, porém, não acusou o golo madrugador do conjunto da casa, reagiu bem, instalou-se no meio campo contrário e chegou ao empate ainda dentro do primeiro quarto de hora. Recuperação de bola a meio campo por parte de Castro, passe de imediado a rasgar a defesa do Benfica e a isolar Ricardo Horta que, na cara de Vlachodimos, rematou cruzado para o 1-1.

Duplo ontratempo para as 'águias

O encontro seguiu, depois, dividido nos minutos que se seguiram. Everton, esta noite aposta de Jorge Jesus para a titularidade, rematou enrolado para as mãos de Matheus e, do outro lado, Galeno entrou na grande área do Benfica pela esquerda e tentou um remate ao seu estilo, em jeito, mas a bola saiu rasteira para as mãos de Vlachodimos.

Aos 25 minutos, contratempo para o Benfica, com João Mário a sair lesionado. Jorge Jesus não hesitou e lançou em campo o jovem Paulo Bernardo, que se havia estreado pela equipa principal a meio da semana, na visita ao Bayern.

O Benfica voltou, então, a instalar-se no meio campo do Braga, com os visitantes a procurarem explorar saídas rápidas para o contra-ataque. Lucas Veríssimo cabeceou por cima ainda antes da meia hora e, na resposta, Vlachodimos evitou com uma boa defesa um autogolo do mesmo Lucas Veríssimo, quando este tentava travar a progressão de Galeno. O central brasileiro saiu lesionado do lance e teve, também ele, de ser substituído, cedendo o lugar ao compatriota Morato.

'Águias' matam o jogo com final de primeira parte alucinante

O jogo seguiu na mesma toada, até que aos 37 minutos, o Benfica voltou à vantagem. Everton soltou para Grmilado na esquerda, este rematou forte e cruzado, Matheus defendeu para a sua esquerda e, na recarga, oportuno, Darwin não perdoou.

Estava dado o mote para um final de primeiro tempo alucinante por parte das 'águias'. Aos 42 minutos, na sequência de um contra-ataque rápido, Rafa combinou bem com Everton, antes de sentar, com muita classe, Diogo Leite e atirar por entre as pernas de Matheus para o 3-1.

Inspirado, Rafa viria a bisar em cima do intervalo. Novamente servido por um não menos inspirado Everton, num lance em que Sequeira, defesa do Braga, se lesionou, Rafa isolou-se pela direita e, na cara de Matheus, não perdoou, 'matando' praticamente o jogo.

Everton coroa grande exibição com dois golos e confirma goleada

E se o Braga vinha para o segundo tempo com pretensões de mostrar que ainda nada estava resolvido, depressa viu essas pretensões goradas. É que o Benfica não tirou o pé do acelerador e logo aos 52 minutos, a dupla Rafa-Everton voltou a funcionar, desta feita numa inversão de papéis. O português avançou pelo centro do terreno, abriu para Everton, que fintou Paulo Oliveira e atirou a contar para o 5-1.

Não satisfeito, Everton bisaria pouco depois, naquela que terá sido a sua melhor exibição de 'águia' ao peito. Desta feita foi Darwin, que já tinha marcado um golo e feiro a assistência para o golo inaugural da partir, a assitir o internacional 'canarinho' para o 6-1. Goleada consumada e tudo mais do que decidido.

O Benfica desacelerou então um pouco, mas com os jogadores do Braga totalmente abatidos as oportunidades de golo continuaram a surgir para as 'águias', embora a eficácia tenha, enfim, deixado de ser a que estas tinham demonstrado até então e o resultado não sofreu mais alterações.

VEJA O RESUMO DO ENCONTRO

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.