O Benfica foi à Madeira vencer o Marítimo por 2-1 e recolocar a vantagem em quatro pontos para o FC Porto. Lima inaugurou o marcador mas depois Igor Rossi esteve no melhor e no pior, fazendo o empate para os madeirenses e marcando o tento da vitória encarnada, num autogolo.

Luisão voltou ao eixo da defensiva encarnada, André Almeida foi o lateral esquerdo. Na frente de ataque, Lima e Rodrigo fizeram a dupla de atacantes dos encarnados.

Ainda o Benfica estava a delinear um plano para derrubar a defensiva maritimista e já se coloca em vantagem. Num lance aparentemente sem perigo, Mário Rosário derrubou Lima na área. O brasileiro encarregou-se de marcar e fazer o seu 17º golo na Liga, o 27º em jogos oficiais com a camisola do Benfica.

Este golo teve o condão de “adormecer” o Benfica e despertar o Marítimo, que se lançou à procura do empate. Estranhamente, o Benfica passou a jogar na expetativa, em contra-ataques raramente saíam.

Os madeirenses canalizavam a maior parte das jogadas de ataque pelo lado direito, esquerdo do Benfica, tentando tirar partido da falta de adaptação de André Almeida, hoje lateral esquerdo em detrimento de Melgarejo.

O Marítimo tinha mais posse de bola, estava mais próximo da área do Benfica e dominava as operações mas sem criar verdadeiros lances de golo, exceção feita a um remate de Márcio Rosário num livre direito, levando a bola ao poste do já batido Artur.

E depois de tanto ameaçar, os madeirenses chegaram ao empate aos 42 minutos, num cruzamento do lado esquerdo benfiquista que encontrou o central Igor Rossi sozinho ao segundo poste. O central atirou de cabeça e restabeleceu a igualdade.

No segundo tempo exigia-se outra atitude ao Benfica e foi isso que aconteceu. Os jogadores vieram com outra disposição e começaram o assalto à baliza de Salin. Antes de Rodrigo desperdiçar um golo feito após passe de Lima, foram os postes (agora contra o Benfica) a salvarem o Martítimo em duas ocasiões, em outros tantos remates de Lima: o primeiro à barra após trabalho de Matic, o segundo ao poste após cruzamento de Ola John.

Jesus, sabendo da necessidade imperativa de conquistar os três pontos, tirou o apagado Ola John e colocou Cardozo em campo, passando Rodrigo a jogar nas alas. E com um Benfica muito mais ofensivo, iam sucedendo os lances de perigo junto da baliza de Salin. A defesa do Marítimo ia afastando a bola da área como podia, tal era o sufoco encarnado.

E de tanto insistir, o Benfica chegou ao segundo golo, numa infelicidade de Igor Rossi, que já tinha evitado um golo certo a Cardozo. Num cruzamento de Salvio na direita, Igor Rossi desviou para a própria baliza quanto tentava fazer o corte.

Em vantagem no marcador, Jesus aproveitou para reequilibrar a equipa, colocando Carlos Martins em campo no lugar de Rodrigo, passando Enzo para a ala esquerda. A equipa recuou as linhas e deu iniciativa de jogo ao Marítimo, sem que os insulares conseguissem criar lances de golo até ao final da partida.

O Benfica dá assim mais um passo importante para vencer o campeonato, repondo a vantagem em quatro pontos para o FC Porto, quando faltam três jornadas para o fim. Se o FC Porto perder frente ao Nacional na próxima jornada e o Benfica vencer em casa, os encarnados sagram-se campeões nacionais. Já o Marítimo terá de fazer muitas contas para conseguir o quinto posto, ocupado nesta altura pelo Estoril, que tem mais quatro pontos que os insulares.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.