O dérbi da capital já tem mais de 100 anos, mas continua a renovar-se, com Benfica e Sporting a prepararem o jogo de sábado, da terceira jornada da I Liga de futebol, longe da situação de calma desejada.

O Benfica, anfitrião deste jogo, está a meio do 'play-off' de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões. Vem de um 'incómodo' empate 1-1 em casa com o PAOK e depois do jogo com os 'leões' mal terá tempo para respirar, já que o jogo em Salónica, que 'vale' 43 milhões de euros, é 'logo a seguir'.

Quanto ao Sporting, o mínimo que se pode dizer é que está numa fase 'interessante' da sua história. Por muito que queira evitar, todo o tumulto que vem desde o ataque à Academia, em Alcochete, em maio, ainda se reflete na equipa.

Pelo menos até às eleições, de 08 de setembro, e até que acabem as ações judiciais movidas pelo ex-presidente Bruno de Carvalho, e contra ele, o clube não terá descanso, sobrando a tensão para o treinador José Peseiro e o seu plantel.

Dois clubes 'sobre brasas', por razões diferentes, mas que não deixaram de cumprir nas duas primeiras jornadas da I Liga. Ambos somam os seis pontos, a exemplo do campeão FC Porto.

Face ao ano passado, as mudanças no Sporting são avassaladoras - presidente, treinador, as referências do balneário -, enquanto que o Benfica segue uma certa continuidade.

Nem Bruno de Carvalho nem Luís Filipe Vieira estarão na bancada, com o líder benfiquista 'proibido' pelos médicos de estar na Luz tão cedo, após complicações médicas.

Verá à distância o dérbi, mas também o jogo de Salónica, onde o Benfica se arrisca a perder a 'taluda' da 'Champions' e a cair na 'sensaborona' a nível de prémios Liga Europa.

Outras ausências relevantes do espetáculo de sábado são a do treinador Jorge Jesus, que saiu em choque total com Bruno de Carvalho, por causa da falta de títulos - Liga Europa, I Liga e Taça de Portugal 'voaram' em poucas semanas - e que vai falhar um dérbi entre os dois 'velhos' rivais lisboetas pela primeira vez em nove anos.

Agora, é o regressado José Peseiro que tenta recompor um plantel que já não conta com os fulcrais Rui Patrício, William Carvalho e Gelson Martins. Sousa Cintra, presidente da SAD para este período conturbado de transição, assegurou o regresso do 'play-maker' Bruno Fernandes e também a contratação de Nani, mas é patente que ainda não se chegou ao Sporting pretendido.

Para este dérbi, curiosamente, deverão estar de fora os dois grandes goleadores da última época, Bas Dost e Jonas.

Bas Dost foi um dos que rescindiram no Sporting e reverteram a decisão. Lesionado, com um problema na coxa, é provável ausência.

Quanto a Jonas, que se chegou a pensar estar de saída do Benfica, ainda não é opção para Rui Vitória, que recebeu no defeso avançados tão experientes como Ferreyra ou Castillo. A 'pele' de goleador, no entanto, tem sido vestida por Pizzi, que já fazia parte do plantel que veio do ano passado.

A uma semana do fecho do mercado, e ainda com jogadores a chegar e a sair, parece evidente que as duas equipas estão longe de definir os 'onzes' para a época. E o Benfica terá de ser 'vendedor', se falhar a Liga dos Campeões.

Para os dois lados, o dérbi, nesta fase da temporada, acaba por, de qualquer forma, até não valer muito. Há 31 jornadas por jogar, depois dele, e se alguém perder, sabe que fica a três pontos da liderança e sem depender de terceiros para ser campeão.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.