O Benfica venceu o Tondela por 2-1 em partida em contar para a 4.ª jornada da I Liga. Os encarnados conseguiram dar a volta ao marcador na segunda parte, depois de se verem a perder no primeiro tempo. Salvador Agra marcou para os visitantes, Rafa e Gilberto saíram do banco para darem a vitória aos encarnados que assim saltam para a liderança da I Liga. As águias somaram a quarta vitória em quatro jogos na prova.

Veja o resumo da partida

Garantidos os milhões e a fase de grupos da Champions, era um Benfica motivado que se apresentava na partida frente ao Tondela. A oportunidade para passar à liderança isolada estava aí à porta, depois do empate do Sporting em Famalicão (1-1).

Face ao desgaste e ao compromisso europeu, esperava-se que Jorge Jesus fizesse várias alterações e desse minutos a jogadores menos atualizados. Darwin Núñes foi aposta, com Yaremchuk a ser poupado. O momento era de confiança face ao início de campeonato positivo, depois de três vitórias consecutivas. O técnico dos encarnados acabou por fazer várias mexidas, recuperando o 4-4-2. Em relação ao jogo com o PSV, entraram sete jogadores no onze: André Almeida, Vertonghen, Pizzi, Meitë, Everton, Darwin e Gonçalo Ramos. Ficaram no banco: Gilberto, Otamendi, Morato, Weigl, Taarabt, Rafa Silva e Yaremchuk saíram do onze. Por outro lado, a equipa orientada por Pako Ayestarán precisava urgentemente de somar pontos, após duas vitórias consecutivas.

Primeira parte com um Benfica irreconhecível e com um excelente Tondela

Quando se esperava um Benfica avassalador nos primeiros minutos na Luz, tal não viria a suceder. Os primeiros minutos foram mornos, com os encarnados com muitas dificuldades em contrariar a equipa Tondelense. Com o Benfica a apresentar-se numa linha de quatro na defesa, o Tondela fechava lá atrás também com quatro homens, com Eduardo Quaresma, jogador cedido pelo Sporting, como referência no eixo da defesa. O primeiro lance de relativo perigo para o lado das águias teve Darwin como protagonista, uma dos mais ativos dos encarnados numa primeira parte pífia dos donos da casa.

Sem capacidade para fluir o seu jogo, face a uma linha com dois trincos, o Benfica tinha muitas dificuldades em encontrar espaços, tanto no jogo exterior como interior. Robusto no processo defensivo, o Tondela tentava sempre quando podia explorar as transições. E conseguiu mesmo chegar ao golo à passagem do minuto 27´. Undabarrena lançou Salvador Agra e o avançado, que já pertenceu aos quadros dos encarnados, rematou rasteiro com a bola a entrar junto ao poste.

Era o culminar de uma primeira parte letárgica dos donos da casa frente ao Tondela. Encarnados adormecidos, com dificuldades em entrar no jogo e com a equipa de Pako Ayestarán, forte e com critério com bola. Antes do descanso, o Benfica foi à procura de chegar ao empate, mas sem resultados. Primeiro por Darwin, depois de um cabeceamento de Vertonghen, e depois através de um remate de João Mário, travado por uma grande defesa de Niasse. Excelentes 45 minutos do Tondela, com João Pedro e Salvador Agra em destaque.

Segunda parte de transfiguração para o Benfica

Na segunda parte, o Benfica transfigurou-se da noite para o dia. Mérito para as alterações, sobretudo depois das entradas de Rafa e Gilberto, (a que se juntou também Weigl). Os dois jogadores acabaram por resolver as contas para o Benfica. Logo ao minuto 47´ - o golo esteve próximo de aparecer, num falhanço de Gilberto que cabeceou por cima numa recarga, após defesa de Niasse a remate de Lucas Veríssimo.

A intensidade encarnada encostava o adversário às cordas, e Niasse teve que evitar uma vez mais o golo após um remate de Gonçalo Ramos. O guardião do Tondela voltou a estar em grande destaque primeiro num remate de João Mário e depois numa tentativa de Grimaldo. Mas os donos da casa tanto pressionaram que acabaram por chegar à igualdade. Canto de João Mário, Weigl fez o desvio e Rafa atirou para o empate.

Restava ao Tondela tentar segurar um ponto no estádio da Luz, mas não conseguiu resistiu à avalanche final da equipa comandada por Jorge Jesus. Ao minuto 88´, João Mário cruzou, a bola sobrou para Gilberto que atirou para o fundo da baliza naquele que seria o golo da vitória. Triunfo arrancado a ferros para o Benfica, que assim salta para a liderança isolada da Liga, com dois pontos de vantagem sobre o Sporting e FC Porto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.