Os encarnados empataram a dois golos com o Anderlecht e venceram, pela quinta vez, o torneio do Guadiana.

Primeira parte

O Benfica teve duas realidades bem distintas nos 45 minutos iniciais.

Se por um lado o ataque funcionou bem, principalmente devido ao entendimento de três argentinos (Jara, Gaitan e Saviola), por outro lado a defesa mostrou, mais uma vez, ser muito permeável com André Almeida na direita a ser o elo mais fraco.

Saviola foi quem deu a vantagem inicial ao Benfica (16’), depois de duas oportunidades perdidas nos primeiros minutos, batendo o guarda-redes Proto.

O Anderlecht respondeu pelo jovem Lukaku (27’) que se adiantou aos centrais encarnados  em velocidade e fez o empate. Este tento aconteceu após a saída de Miguel Vitor lesionado, a entrada de David Simão para a esquerda, e a deslocação de Fábio Faria para central.

Já no final da primeira parte, os belgas deram a volta ao marcador por intermédio de Suárez. O argentino flectiu da esquerda para o centro, passou pelo seu oponente directo – André Almeida – e por mais dois adversários rematando posteriormente para o fundo das redes. Um golo de belo efeito do extremo num bom lance individual.

Segunda parte

Neste segundo tempo, a equipa do Benfica entrou com cinco alterações. Saíram Witsel, Jara, Gaitán, Enzo Pérez e Saviola para a entrada de Nolito, Cardozo, Aimar , Bruno César e Urreta.

Os 45 minutos finais trouxeram um Benfica diferente, mais que não seja pelo facto de os protagonistas serem outros. A Aimar coube assumir o papel de organizador jogo, lugar que Saviola tinha desempenhado com mestria, e Urreta foi uma surpresa no jogo, pelo golo que apontou e repôs a igualdade no marcador.

O jovem uruguaio dominou bem a bola, após cruzamento de David Simão, e rematou cruzado para o fundo das redes.

O Anderlecht não se desconcentrou e aproveitou sim para pressionar mais o Benfica e pôr a nu algumas fragilidades da defesa encarnada.

Primeiro Kouyate e depois Veselinovic tiveram oportunidade de voltar a fazer mexer o placard mas alguma felicidade e uma boa intervenção de Artur valeram aos encarnados

Foi então a vez de o Benfica estar perto de marcar por Nolito, mais uma vez a mostrar-se em bom plano e apresentar bons pormenores, mas o espanhol não conseguiu bater Proto, quando só tinha este pela frente.

Com jogadas nas duas áreas o encontro foi-se encaminhando para o final, não se registando mais golos.

Nota para o facto de a defesa encarnada continuar a apresentar algumas debilidades e de sofrer consecutivamente golos de jogo para jogo. 

Com este empate, o Benfica vence o torneio do Guadiana pela quinta vez. Saviola foi considerado o melhor jogador do torneio, tendo apontado dois golos, um em cada jogo realizado.

O argentino tornou-se, desta forma, o melhor marcador das várias edições já realizadas do Torneio com seis golos. 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.