O FC Porto emitiu esta segunda-feira um comunicado em que torna pública a vontade de reunir com Fernando Gomes e Pedro Proença para discutir as arbitragens dos jogos de Benfica e FC Porto do passado fim-de-semana, onde considera terem existido"erros crassos das equipas de arbitragem" que "colocam em causa a verdade desportiva desta edição da Liga NOS e a bem intencionada introdução do VAR".

Nesta terça-feira, e através da publicação digital 'News Benfica', o encarnados reagiram a este pedido, referindo que "o FC Porto tem hoje mais 10 pontos do que deveria ter" e que o clube da cidade Invicta "beneficiou de um número colossal de erros de arbitragem".

O Benfica criticou ainda o comportamento dos adeptos do FC Porto, no final do jogo com o Rio Ave, considerando que os jogadores portistas foram "humilhados" e "insultados" pelos seus próprios adeptos após o empate em Vila do Conde.

Leia a publicação na íntegra:

"O pedido do FC Porto, com caráter de urgência, de uma reunião ao Conselho de Arbitragem, por eventuais erros de análise em Vila do Conde e Braga – depois de tudo aquilo a que se tem assistido neste campeonato! – configura uma das tentativas de condicionamento mais ridículas e burlescas de sempre.

Mas igualmente mau – do pior que já se viu e que confirma bem a cultura de ódio alimentada pelos responsáveis daquele clube – é a imagem de humilhação e insulto a que foram sujeitos os seus próprios profissionais no final do jogo com o Rio Ave. Aquela imagem diz tudo.

Contestação de adeptos perante maus resultados existe em todos os clubes. Sem exceção. Mas o papel que compete a Direções e Administrações responsáveis é dar o exemplo de moderação, bom senso e equilíbrio para que certos limites e a autoridade nunca sejam postos em causa.

Naquele episódio de Vila do Conde está representada, em todo o seu esplendor, a imagem que explica as invasões ao centro de treinos de árbitros, as ameaças permanentes a seus familiares e bens, os ataques a lojas do Benfica, o apedrejamento aos autocarros e carros de adeptos do nosso clube, os petardos de madrugada, a exibição de imagens com agressões e a recente afirmação do Oficial de Ligação aos Adeptos (OLA) do FC Porto, ameaçando na sua página de Facebook que chegou a hora de fazer justiça pelas próprias mãos.

O sentimento é de total impunidade e permite perceber o que levou um clube a exibir correspondência privada roubada a um concorrente, truncando e falsificando (tal como já foi provado) muita dessa informação com o único intuito de criar todo um ambiente de condicionamento sobre os mais diversos agentes desportivos.

Lembremo-nos que, neste campeonato, o FC Porto já beneficiou de um número colossal de erros de arbitragem e que, por isso, tem hoje mais 10 pontos do que deveria ter.

Lembremo-nos que o FC Porto não teve ainda qualquer jogador expulso no campeonato. Aliás, é a única (!) das 18 equipas que não viu qualquer cartão vermelho.

E lembremo-nos ainda que a última vez que o FC Porto teve um jogador expulso num jogo da Liga já foi há 482 dias.

Ou seja, a ideia de criar uma realidade paralela – nesta fase final da temporada – visa apenas mais uma tentativa de pressão e condicionamento sobre as equipas de arbitragem.

O Sport Lisboa e Benfica não aceita este tipo de chantagens e, como tal, requereu uma reunião ao Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol para analisar as graves acusações feitas. E também para garantir que, quem tem aquele comportamento com os seus próprios atletas à vista de todos, não se sinta livre para também exercer qualquer tipo de ameaça junto dos árbitros e dos seus familiares.

É obrigatório que a verdade desportiva se imponha e acabe por vencer este confronto face aos que semeiam o ódio no futebol português. Essa é a cultura que importa eliminar. De uma vez por todas."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.