Bruno de Carvalho deu uma entrevista ao jornal 'Record' onde abordou as eleições para a presidência do Sporting que estão marcadas para o próximo dia 8 de setembro. O presidente destituído dos 'leões' ainda não sabe se vai poder candidatar-se, mas acredita que alguém tentou prejudicá-lo.

Questionado sobre o início da desunião no seu mandato, Bruno de Carvalho acredita que tudo começou na Assembleia Geral em que alterou os estatutos do clube. "Quem coordenou com o Conselho Fiscal e Disciplinar a alteração dos estatutos e do regulamento disciplinar foi o Carlos Vieira", acrescentando ainda que "foi brilhante a tática de todos eles".

Bruno de Carvalho considera que Carlos Vieira "foi mais um" a tentar tirá-lo da presidência e acrescenta: "Enfim, fui acusado de tanta coisa e não tive nada a ver com o assunto". Sobre a suspensão como sócio do Sporting que pode afastá-lo, a ele e a Carlos Vieira, das eleições, Bruno de Carvalho apenas diz que "estão feitos uns com os outros. É castigo e não castigo".

O presidente destituído do Sporting continuou a lançar farpas aos oito candidatos à presidência, além dele próprio, e disse mesmo achar "amoroso as candidaturas andarem a pôr 'likes' umas nas outros no Instagram e no Twitter". Frontalmente, Bruno de Carvalho acusou ainda que "não há um único candidato que defenda a democracia. Eles sabem que tudo isto é ilegal. É chato ir a eleições e perder, não é? Na minha terra chama-se cobardia".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.