Bruno de Carvalho ameaçou esta quinta-feira forçar a impugnação das eleições presidenciais do Sporting caso a sua candidatura não seja aceite pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral, Jaime Marta Soares.

O presidente destituído do Sporting enviou um mandatário a Alvalade com o objetivo de marcar uma Assembleia Geral Extraordinária de forma a garantir a participação da sua candidatura nas próximas eleições presidenciais do clube e falou da impugnação do ato eleitoral através de um comunicado publicado na sua página pessoal do Facebook.

Recorde-se que esta é a segunda vez que Bruno de Carvalho tenta a realização de uma Assembleia Geral Extraordinária depois de na primeira tentativa Jaime Marta Soares ter rejeitado o primeiro pedido.

Bruno de Carvalho continua a não reconhecer a validade da Assembleia Geral do passado dia 23 de junho e considera que o seu afastamento do cargo de presidente do Sporting foi ferido de várias ilegalidades.

"A continuação das arbitrariedades de Jaime Marta Soares (JMS), introduzindo uma inaceitável e lesiva indisciplina no processo eleitoral que vivemos no Sporting Clube de Portugal, que permanentemente vicia, vai acabar por forçar a impugnação das próprias eleições", pode ler-se no comunicado da candidatura 'Feitos de Hora - Leais ao Sporting' publicado na página pessoal de Bruno de Carvalho no Facebook.

"Não gostaríamos que tal acontecesse, mas tendo em conta que o mais importante é que os sócios possam pronunciar-se sobre quem pretendem para a Direção do Clube, já todos entenderam que não nos coibiremos de o fazer, em consonância com grande número de sócios – já recolhemos mais de 5000 (cinco mil) votos a favor –, caso se mantenha o bloqueio à candidatura de Bruno de Carvalho", acrescenta o referido comunicado.

"Neste momento, pode bem suceder que a candidatura FEITOS DE HONRA – LEAIS AO SPORTING seja recusada por integrar candidatos pretensamente suspensos por acto nulo de uma ilegal comissão de inimigos, publicamente confessos", refere o comunicado da candidatura liderada pelo presidente destituído do Sporting.

"Mesmo na impensável e remota hipótese de a deliberação da Assembleia Geral de 23 de Junho poder vir a ser considerada lícita, ainda assim seria ilegal executá-la até à decisão judicial que a firme, o que não ocorreu e, provavelmente, não ocorrerá", argumenta a lista liderada por Bruno de Carvalho.

A terminar, Bruno de Carvalho e a sua lista acusa Jaime Marta Soares de levantar obstáculos à entrega do pedido de convocatória de Assembleia Geral Extraordinária.

"Para se ter uma ideia da situação, tem JMS exigido, disparatadamente, a marcação prévia de data para receber um pedido de convocatória de Assembleia Geral, ideia que só pela sua cabeça passaria. Tal marcação é impensável. Mesmo assim enviámos 3 e-mails", pode ler-se no comunicado.

"E, por isso, hoje, pelas 17h30, procedemos à entrega do pedido de convocatória de Assembleia Geral Extraordinária para que os sócios se possam pronunciar sobre o abusivo impedimento à candidatura e, em última instância, poder existir uma campanha e acto eleitoral democráticos", sentenciou a lista de Bruno de Carvalho.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.