Bruno de Carvalho falou das rescisões dos contratos por parte de Rui Patrício e Daniel Podence. Numa sessão de esclarecimentos a cerca de 220 sócios do Sporting, que decorreu em Santa Maria da Feira, o líder leonino frisou que a carta de rescisão de Podence é igual a de Podence.

O presidente do Sporting usou da ironia para falar das cartas do guarda-redes e do avançado e pediu bon senso aos restantes jogadores.

"Há uma coisa que garantidamente não vou fazer: entrar em acusações, não é bom, os jogadores têm um período para refletir e pode ser muito bom. Por milagre apareceu a carta do Rui na Comunicação Social. Porque eu desliguei os faxes... [em tom irónico] Como desligámos, mandaram para a Comunicação Social. As pessoas tiraram as suas ilações. Vamos esperar que os jogadores percebam a forma como foram manipulados. Acabou de chegar a rescisão do Podence, mais um da Gestifute. O texto é exatamente igual, só mudou a assinatura. Fiquei preocupado, porque achei que o tinha lesionado, mas não... São as 34 páginas iguaizinhas em tudo. Que haja bom senso a não razão por parte dos atletas. Estamos preparados há muito tempo para isto: nunca disse aos sportinguistas que não ia haver nada. É bom que percebam isso. Realmente têm acontecido coisas estranhas. Vou esperar, acho que vai haver perguntas mais concretas sobre o assunto, acho que há coisas engraçadas", atirou.

Sobre a preparação da nova época, Bruno de Carvalho garante que as rescisões de alguns jogadores não irá colocar em causa as finanças do clube.

"Estávamos a trabalhar e tínhamos tomado ontem uma série de decisões que nos colocavam outra vez num período de calma no que respeita à preparação da época, e pronto, vem isto hoje. Tudo se irá resolver. Isto não é um discurso populista. Uma coisa é ser popular e outra é ser populista. Não será por esta questão das rescisões que haverá problemas de tesouraria", afirmou o presidente verde-e-branco.

Na terceira sessão de esclarecimento aos sócios, em Santa Maria da Feira, no Europarque, o líder leonino sublinhou que até agora só chegaram dois pedidos de rescisão mas que poderá haver mais.

"[Carta de rescisão de] William? Ainda não chegou. Quando sairmos daqui pode ser que já tenha saído o plantel todo", disse, em tom irónico.

Bruno de Carvalho pronunciou-se ainda sobre a transferência falhada de Rui Patrício para Inglaterra. A Gestifute disse que as partes já tinham acordado a mudança do guarda-redes por 18 milhões de euros mas que, a última da hora, Bruno de Carvalho pediu mais dois milhões, algo que fez cair o negócio. O líder leonino mostra-se disponível para negociar o guarda-redes mas tem de ser uma proposta igual a do Nápoles, que o Sporting já tinha aceite.

"Se for apresentada ao Sporting uma proposta exatamente nos mesmos moldes do que foi feito pelo Nápoles, e retirar Adriens e aquilo do Godinho Lopes, eu assino o contrato. Para o jogador em causa eu digo: é trazer a proposta. O jogador que escolha o clube que quiser, só não pode ser um português. Trazer a proposta igual à do Nápoles mas sem mistura de assuntos. Porque os jogadores não devem ser usados para acerto de contas", referiu, antes de concluir.

"Caríssimo Rui, uma proposta igual à proposta do Nápoles, exatamente nas mesmas condições, sem chantagens de contratos que tinham a ver com a Gestifute e Adrien lá no meio", terminou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.