Bruno de Carvalho, ex-presidente do Sporting, anunciou durante a sua audição na 13.ª sessão do julgamento do processo 'Football Leaks' que desistiu da queixa contra o hacker Rui Pinto, principal arguido no processo.

“Vou desistir, desisto”, afirmou Bruno de Carvalho durante, a 13.ª sessão do julgamento do processo ‘Football Leaks’, onde está a ser ouvido como testemunha de defesa do criador da plataforma eletrónica através da qual foram divulgados milhares de documentos confidenciais do mundo do futebol e alegados esquemas de evasão fiscal cometidos em diversos países.

Bruno de Carvalho, que começou a ser ouvido hoje, considerou que “o ‘Football Leaks’ foi muito positivo para alertar as pessoas”, acrescentando: “Espero, dentro de alguns anos, dizer que foi altamente moralizador”.

Bruno de Carvalho revelou ainda ter recebido ameaças por parte de pessoas ligadas ao fundo de investimento Doyen.

"Fui ameaçado por pessoas que afirmavam trabalhar para a Doyen e diziam ao telefone o nome das minhas filhas e a matrícula do meu carro", afirmou, em declarações citadas pelo Público.

Rui Pinto, de 31 anos, responde por um total de 90 crimes: 68 de acesso indevido, 14 de violação de correspondência, seis de acesso ilegítimo, visando entidades como o Sporting, a Doyen, a sociedade de advogados PLMJ, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e a Procuradoria-Geral da República (PGR), e ainda por sabotagem informática à SAD do Sporting e por extorsão, na forma tentada.

Este último crime diz respeito à Doyen e foi o que levou também à pronúncia do advogado Aníbal Pinto.

*Última atualização às 12h24

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.