As declarações do presidente do Sporting sobre a relação do FC Porto com os fundos de investimento foram desmentidas por Daniel Cravo, o advogado brasileiro que serviu de argumento para Bruno de Carvalho afirmar na Soccerex, em Manchester, que o FC Porto "era um exemplo do que não se deve fazer" com os fundos de investimento.

Em declarações ao diário O JOGO, o jurista fez questão de esclarecer que elogiou o FC Porto na utilização de fundos de investimento para competir com os maiores da Europa, e revelou que confrontou Bruno de Carvalho com a utilização errada das suas palavras.

"Dei o exemplo do Internacional e do Fluminense, que conseguiram títulos usando essa ferramenta (fundos), e acrescentei que era também graças ao bom uso da mesma que o FC Porto, por exemplo, conseguia competir contra os grandes europeus", afirmou o jurista brasileiro defensor da utilização de fundos de investimento no futebol.

"Questionei sobre o que eles (Sporting) fizeram com a Doyen e quis saber se ele não pena que aquela rescisão de contrato não e um sinal ao mercado de que é melhor fazer negócios com FC Porto e Benfica, que são clubes respeitadores. Ele disse que não tinha nada que me esclarecer", acrescentou Daniel Cravo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.