O jornal desportivo 'Record' divulgou na tarde desta segunda-feira uma carta alegadamente enviada pelo antigo presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e do ex-vice presidente dos 'leões', Alexandre Godinho, ao atual presidente da Mesa da Assembleia-Geral, Rogério Alves.
A referida carta vem no seguimento de outra enviada a 12 de março deste ano, à qual ainda não obtiveram resposta, e que abordava o processo de expulsão de sócio de Bruno de Carvalho e Alexandre Godinho.

Recorde-se que a Assembleia Geral do Sporting para apreciar o recurso sobre a expulsão de sócio do ex-presidente Bruno de Carvalho está marcada para 06 de julho. Em 01 de março, o Conselho Fiscal e Disciplinar dos 'leões' decidiu expulsar de sócio Bruno de Carvalho, sanção igual à do ex-vice-presidente Alexandre Godinho.

Confira a carta de Bruno de Carvalho e Alexandre Godinho:

"Ao Presidente da MAG do Sporting Clube de Portugal,
Eu e o associado Alexandre Godinho, estamos à espera de uma resposta à carta (em anexo) por nós enviada e recepcionada por Vós, a 12 de março de 2019, relativa ao nosso processo de expulsão e aos procedimentos a adoptar na Assembleia Geral do próximo dia 6 de Julho.

Calculamos que o seu tempo deve ser escasso, pois tem tido muito trabalho entre mãos. A título de exemplo desse intenso trabalho temos as inúmeras presenças nos Núcleos do SCP, onde sabemos ser muito activo na tentativa de angariação de votos a favor da nossa expulsão.
Mas o V. trabalho não se resume só a isto. Tem ainda o trabalho de explicar ao Varandas, saberes de anatomia pois não somos constituídos por cabeça membros e pernas, mas sim por cabeça, tronco e membros. Mas não fica por aqui, pois ainda tem as várias reuniões com pessoas das diversas modalidades para que consigam aprender as suas regras, nomeadamente, a duração de cada parte. Tudo isto não deixa muito tempo livre a V. Exa. para responder aos Associados. E nos "entretantos" ainda temos as diversas auditorias - inúteis - que para além de tempo também vos tiram o sono. Passo a explicar: tempo porque se está a passar tudo a "pente fino" e sono porque não descobrem nada de errado nos tempos da minha direcção. E ainda há que contar com aqueles almoços e jantares, reuniões e cafés com vários dos mais antigos associados, também na tentativa de angariação de votos para a nossa expulsão. Lá está, mais uma vez, mais tempo e recursos despendidos. E quase que me esquecia da mudança das dezenas de colchões das camas da Academia que deve ser um verdadeiro quebra-cabeças para V. Exas. Enfim, há que "compreender" e "parabenizar" este árduo trabalho conjunto dos Orgãos Sociais com o único objectivo de nos expulsarem - a mim e ao associado Alexandre Godinho.

Foquemo-nos na carta e na necessidade dos associados obterem respostas - para além de ser uma questão de bom senso e de boa educação é um dever de quem Preside à Mesa duma Assembleia Geral. Na referida carta, ao lermos os pontos 9 e 10, verificamos como se deve organizar e regulamentar, defendendo procedimentos democráticos, éticos e morais, a AG do próximo dia 6 de Julho.

Infelizmente, nas últimas AGs - destituição e suspensão de sócio - não foram cumpridos nenhuns destes três pilares que consideramos básicos numa sociedade e Instituição que se quer consonante com um Estado Livre e de Direito. Em ambas as referidas AGs foram cometidas várias e graves ilegalidades - destaco a não leitura das actas das AGs anteriores ou a abertura do período de votação sem ter sido dada previamente a hipótese dos visados e dos associados falarem e debaterem os respectivos assuntos. O Sporting Clube de Portugal merece mais do que AGs manipuladas e campanhas orquestradas para afastar a todo o custo aqueles que fazem frente - sem medo e sem filtro - aos interesses instituídos, aos que em vez de servirem o Clube se servem do mesmo.

Solicitamos que sem rodeios e sem falácias jurídicas, nos responda de forma clara sobre qual o procedimento que vai ser adoptado para esta AG do próximo dia 6 de Julho:

1. Após os procedimentos regulamentares a AG será iniciada com uma intervenção, minha e do associado Alexandre Godinho, nunca inferior a 15 minutos cada?
2. Depois da participação de ambos abrirá a AG às intervenções dos Associados?
3. Terminadas as intervenções de associados, eu e o associado Alexandre Godinho poderemos usar novamente da palavra por um período nunca inferior a 15 minutos cada, de forma a podermos esclarecer todas as questões e dúvidas que possam ter sido suscitadas pelos restantes associados nas suas intervenções?
4. A abertura das mesas de voto ocorrerá depois da conclusão dos 3 momentos anteriormente referidos?

Aguardamos a resposta e informamos que tornaremos pública esta missiva e a nossa carta de dia 12 de Março de 2019.

SL
Bruno de Carvalho
Alexandre Godinho"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.