O treinador do Rio Ave quer deixar para trás as quatros primeiras jornadas da Liga de futebol, sem vitórias, e concentrar esforços na partida de domingo com a Académica, da quinta jornada.

“Não adianta estarmos com lamentações sobre o que não conseguimos. Há que seguir em frente, pois olhar para o passado não nos vai adiantar nada”, disse o treinador da formação vila-condense.

Carlos Brito reconheceu que será um encontro entre duas equipas com espíritos “antagónicos”, mas garantiu que a sua equipa não vai esmorecer.

“A Académica, no terceiro lugar e com sete pontos, é uma equipa moralizada. Se tivéssemos nessa posição também nos sentiríamos com confiança. Mas o bom momento do adversário não nos pode encolher ou inibir de fazermos o que sabemos”, garantiu o técnico.

Embora notando alguma “ansiedade” no grupo que dirige, Carlos Brito exige também “responsabilidade”: “Quanto mais rápido conseguirmos uma vitória, melhor será para os índices da confiança da equipa”.

Com apenas um ponto somado nos últimos quatro jogos, Brito, que continua com dificuldades no eixo da defesa, pois tem apenas o central Gaspar disponível para essa posição, admite fazer algumas alterações no “onze”.

“Uma equipa quando não ganha há sempre qualquer coisa que temos ideia de mudar. Até porque, nestas circunstâncias, quem tem ficado de fora está sempre à espera da uma oportunidade”, sublinhou o técnico.

Para este encontro frente aos ‘estudantes’, Éder, Jeferson e Vítor Gomes, todos a recuperar de lesões, não poderão dar o contributo à turma da Foz do Ave.

A partida entre Rio Ave e Académica está agenda para as 16:00 de domingo, em Vila do Conde, e terá arbitragem de Hugo Miguel, de Lisboa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.