Na última jornada, o Rio Ave arrancou uma vitória por 3-2, no reduto do Sporting, mas Carlos Carvalhal, treinador dos vilacondenses, não considera que a sua equipa já tenha conquistado um estatuto de equipa "temível" para os adversários.

"Estamos no início do campeonato, e ainda não temos um estatuto. Acredito que o vamos ter perante, mas o nosso propósito é teremos uma dinâmica que levem os adversários a ter de subjugar a sua identidade em função da estratégia", disse o treinador do Rio Ave.

Na sequência dessa derrota infligida ao Sporting, o treinador dos leões Marcel Keizer, acabou despedido, algo que Carlos Carvalhal lamentou.

"Não quero emitir opinião sob casos individuais, mas, na generalidade, acho muito mau para qualquer clube despedir um treinador à quarta jornada. Custa-me entender. Mas são os tempos que correm, em que nós treinadores temos de ser, muitas vezes, o escape de erros que muitas vezes não são nossos", desabafou Carvalhal.

Sobre o jogo deste domingo com o Vitória de Guimarães, o treinador do Rio Ave deixou elogios a Ivo Vieira. "É uma equipa bem organizada, que o Ivo [Vieira] preparou bem. Tem uma identidade bem vincada, um futebol que não fácil contrariar, com uma boa dinâmica ofensiva. Mas estamos prontos para as dificuldades do jogo, e com olhos postos nos três pontos", disse.

O Rio Ave, mesmo com menos um jogo, ocupa atualmente o sétimo lugar na tabela classificativa, com seis pontos, enquanto que o Vitória de Guimarães é 16.º, com 2.

A partida deste domingo entre ambos, está agendado para as 15:00, no estádio dos Arcos, em Vila do Conde.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.