Carlos Martins vai continuar ao serviço do Belenenses e garante que não se arrepende da decisão que tomou.

O jogador português foi afastado do plantel principal do Benfica e relegado para a equipa "B" depois da expulsão diante do Estoril, antes da jornada decisiva no Dragão, ano em que o FC Porto se sagrou campeão nacional, na época 2012/2013.

"Não foi fácil. Foram crí­ticas injustas pela proporção que tiveram. Não quer dizer que sa­cuda a água do capote, porque errei. Principalmente no primeiro amarelo, porque discuti com o árbitro. No segundo penso que vou chegar à bola, é um lance normal. Tive alguma culpa, mas não para se virarem todos contra mim. Mas sei como é o futebol. Fui render o Enzo, que saiu lesionado, e senti que estava a ser o melhor em campo. Ninguém pode dizer que íamos ganhar se estivesse lá. Mas houve interesses e destruíram-me a carreira. Mandaram-me para a equipa B. Mas não guardo rancor", disse Carlos Martins, em declarações à revista "Jogadores", publicação oficial do Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol.

Carlos Martins disse que foi difícil a sua adaptação à equipa “B” dos encarnados.

"É muito difícil estar habituado a jogar para 60 mil pessoas e, de um dia para o outro, jogar com miúdos de 17/18 anos. Aprendi muito com eles, fartava-me de rir. Mas em termos de motivação, não a tinha. Só tenho a falar bem de todos, mas pensei em abando­nar. Tive muito apoio do Dr. Joaquim Evangelista, mas, principal­mente, pelo meu filho, tive ânimo para continuar", referiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.