O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol decidiu suspender Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, por seis meses e Carlos Pinho, presidente do Arouca, por 20 meses, na sequência dos incidentes ocorridos no túnel de Alvalade depois do encontro entre Sporting e Arouca, a 6 de novembro.

De acordo com a Comissão de Instrutores, o líder dos 'leões', ao lançar fumo na cara de Carlos Pinho, cometeu uma infração de lesão de honra e reputação, punível com suspensão de dois meses a dois anos.

Já o líder do Arouca foi acusado de seis infrações disciplinares que poderiam valer uma pena acumulada entre os 14 meses e os 9 anos e meio de suspensão.

De acordo com o jornal A Bola, os dois dirigentes foram punidos em milhares de euros em multas. O diretor desportivo do Arouca e filho de Carlos Pinho, Joel Pinho, foi absolvido.

Recorde-se que o incidente entre Bruno de Carvalho e Carlos Pinho ocorreu após a partida entre o Sporting e o Arouca em Alvalade, referente à 10.ª jornada da Primeira Liga, com os dois presidentes a desentenderem-se na zona dos balneários.

A audiência disciplinar deste caso decorreu no dia 4 de agosto, sendo que José Manuel Meirim, presidente do Conselho de Disciplina, tinha prometido uma sentença em quinze dias, ou seja, para esta quarta-feira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.