A SAD do Benfica garantiu esta quinta-feira ter prestado toda a colaboração com as autoridades judiciais e que não foi constituída arguida no caso dos emails, após buscas da Polícia Judiciária.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a SAD os ‘encarnados’ informou que “no dia de hoje foram realizadas buscas na sua sede social que, de acordo com a Procuradoria Geral Distrital de Lisboa, se relacionaram com o denominado ‘caso dos emails do Benfica’”.

“Mais se informa que a Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD não foi constituída arguida e prestou toda a colaboração com vista ao apuramento dos factos”.

A Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL) confirmou hoje a investigação a um suspeito, no âmbito do caso dos emails do Benfica, por corrupção passiva e ativa.

Em comunicado, a PGDL dá conta da emissão de mandados de busca domiciliária e não domiciliária, no âmbito de uma investigação em curso pelos crimes de corrupção passiva e ativa, por parte da nona secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.

O diretor de comunicação do FC Porto, Francisco J. Marques, acusou o Benfica de influenciar o setor da arbitragem e apresentou alegadas mensagens de correio eletrónico de responsáveis ‘encarnados', nomeadamente de Paulo Gonçalves e Luís Filipe Vieira, presidente.

Entre outras situações, o responsável dos ‘dragões' revelou também a alegada partilha de mensagens de telemóvel do atual presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Fernando Gomes, na altura em que presidiu à Liga de clubes, entre o diretor de conteúdos da BTV, Pedro Guerra, e o ex-presidente da Assembleia-Geral da Liga Carlos Deus Pereira.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.