O brasileiro foi, esta quarta-feira, apresentado como jogador do Arouca, tendo assinado até ao final da época com o clubes da I Liga de futebol.

«As perspetivas são sempre altas quando se assume um compromisso. O clube está a crescer no cenário nacional e fiquei feliz e honrado com o convite», revelou o reforço do Arouca.

O clube passa a ter quatro guarda-redes no plantel, algo que não preocupa o guardião brasileiro. «Todos os jogadores treinam para jogar. Daqui para frente é que se vai ver», afirmou Cássio, forte concorrente de Stefanovic, que no domingo sofreu cinco golos em Alvalade, perante o Sporting, na primeira jornada da Liga.

Também Carlos Pinho, presidente do clube, não se mostrou preocupado com o número de guarda-redes ao serviço do Arouca. «Tenho compromisso com os quatro», explicou.

«Pode sair alguém, mas eu vou cumprir rigorosamente o que tenho estipulado com eles», acrescentou.

«Conheço a equipa técnica – que venceu a Taça de Portugal há duas épocas – e alguns jogadores. O David Simão já jogou comigo. Sei que este é um grupo unido e bom. Não começou da melhor forma, mas tem condições para fazer um campeonato tranquilo», declarou Cássio.

Depois de deixar o Paços de Ferreira no final da época, Cássio assinou pelo Sporting de Braga, mas o guardião afirmou que Jesualdo Ferreira «escolheu outro guarda-redes».

«E a vida continua», desdramatizou o brasileiro, de 33 anos, sem esconder que houve contactos por parte de outros clubes, explicando que, face à incerteza que as propostas sugeriam, optou pelo Arouca.

Depois da derrota pesada em Alvalade (5-1), o Arouca apresentou um reforço importante, mas sobre o ponta de lança que Pedro Emanuel deseja, Carlos Pinho apenas afirmou que «para vir, tem de marcar a diferença».

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.