O treinador César Peixoto garantiu hoje que o Moreirense está preparado para um jogo de “dificuldade máxima” no estádio do Sporting, no sábado, a contar para a oitava jornada da I Liga de futebol.

“Estes são os jogos mais fáceis de preparar. É natural que todos queiram jogá-los, porque dão mais motivação e visibilidade. Contudo, também são difíceis e temos de saber gerir a equipa no plano emocional. Isso depende da forma como cada um aborda a pressão de jogar em Alvalade”, referiu o técnico, em conferência de imprensa.

Recuperado da infeção pelo novo coronavírus, que provoca a covid-19, César Peixoto reintegrou hoje os treinos e vai estrear-se no comando técnico dos minhotos, afirmando “não ter receio nenhum” da exigência da I Liga, após experiências no segundo escalão.

“Cheguei a um clube estável e ao patamar que queria desde o início. Estou perfeitamente preparado para isso. É verdade que as coisas não correram bem aqui e ali nos projetos em que estive, mas há muitas condicionantes para que, às vezes, isso aconteça. Neste momento, importa estar focado no Moreirense e saber o caminho que quero”, explicou.

O sucessor de Ricardo Soares foi oficializado em 10 de novembro e está a procurar encaixar as suas ideias de jogo com a identidade do Moreirense, visando uma “época tranquila, a potenciar jogadores, a entrar sempre para vencer e a praticar bom futebol”.

“A minha ideia de jogo é uma equipa que sabe o que quer. Os atletas devem ter noção dos seus comportamentos e querer ser protagonistas. Vamos ter alguma dificuldade e teremos de saber sofrer, mas, com bola, tentar apresentar qualidade para jogar e ser corajosos. Acima de tudo, proporcionar que os jogadores se divirtam”, observou.

Apesar das “boas condições de trabalho” encontradas, César Peixoto orientou poucos treinos e notou algum défice físico no plantel, que esteve em isolamento no início do mês, devido ao surto de covid-19 registado no emblema da vila de Moreira de Cónegos.

“Foi difícil nos 10 dias em que estive em confinamento, mas arranjámos sempre forma de estarmos presentes à distância. A equipa tem adquirido processos e é natural que ainda não esteja tudo trabalhado. Estamos numa fase de aprendizagem gradual, mas, com o tempo, não duvido que vamos fazer um bom trabalho aqui”, apontou.

O treinador falhou o triunfo diante do Merelinense (1-0), na Taça de Portugal, e fará uma “gestão a três jogos” nos próximos sete dias, esperando “uma equipa competitiva” frente ao Sporting, que permita acalentar esperanças quanto à presença na Taça da Liga.

“O adversário está confiante, forte e com processos assimilados. Todos os jogadores sabem bem o que têm de fazer em campo. Isso é sinal do trabalho fantástico do Rúben Amorim, que também está demonstrado na tabela. O Sporting é um justo primeiro classificado, em função daquilo que tem feito neste início de época”, analisou.

O Moreirense, no 11.º posto, com oito pontos e um jogo em atraso, visita o Sporting, líder isolado, com 19, num duelo da oitava jornada da I Liga, no sábado, às 20:30, no Estádio José Alvalade, em Lisboa, com arbitragem de Vítor Ferreira, da associação de Braga.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.