O Benfica da presente temporada, comparando com a anterior e ainda com expectativas na Liga Europa e Taça da Liga, perdeu o título nacional e soma já mais cinco derrotas na principal competição nacional face ao período homólogo.

Com três jogos ainda por disputar na Liga, podendo aumentar os actuais 58 pontos para 67, este máximo possível colocará a equipa de Jorge Jesus nove pontos aquém dos 76 conseguidos na época transacta.

Detalhe curioso e pouco contributivo para a perda face a período homólogo é o capítulo dos jogos com pontos divididos: neste caso, o Benfica é o menos "empata" da todas as equipas, apenas cedendo dois pontos uma única vez, contra o Portimonense.

É importante referir que Jorge Jesus “abdicou” do título após a 22.ª jornada, quando o Benfica perdeu por 2-1 em Braga, ficando a 11 pontos do FC Porto: depois disso, os “encarnados” perderam oito pontos, cinco com as “reservas” e três face aos “dragões”, que asseguraram o título na Luz.

A comparação no campeonato, entre o fim do anterior e o presente, com três rondas por disputar, apresenta já mais seis golos sofridos (26, contra 20 em 2010) e menos 23 marcados (55, face a 78).

Relativamente a outras competições, na época passada o Benfica não teve a oportunidade de disputar a Supertaça, que acabaria por perder, no início da presente, para o FC Porto (0-2 em Aveiro).

E esse é também um título que os “encarnados” não disputarão na próxima temporada, pois já está reservado para os finalistas da Taça de Portugal: FC Porto (campeão nacional) e Vitória de Guimarães.

Na Taça de Portugal, o Benfica chegou mais longe esta época: “só” caiu na meia-final, quarta-feira, na Luz (1-3, após o triunfo por 2-0 no Dragão), enquanto em 2009/2010 ficou na quarta ronda, derrotado também em casa, pelo Vitória de Guimarães (0-1).

As maiores expectativas do momento, em prova em que a carreira do Benfica tem sido melhor ou idêntica à do ano anterior, estão centradas na Liga Europa e na Taça da Liga.

Na competição interna, os “encanados” ostentam duas vitórias em três possíveis e este ano são de novo finalistas, disputando com o Paços de Ferreira, sábado, em Coimbra, a final da quarta edição da prova, depois de na final do ano passado terem batido o FC Porto por 3-0.

Quanto à prova da UEFA, a presença na meia-final, fase em que os “encarnados” não estavam desde 1993/94, há 17 anos, ultrapassa a prestação dos benfiquistas na época anterior, eliminados nos quartos de final.

A diferença é que o Benfica ainda está em prova e com hipóteses de fazer história: se ultrapassar o Sporting de Braga, somará a nona final europeia, 21 anos após a última, e se ganhar em Dublin, conquistará o terceiro troféu europeu, 49 anos depois de se sagrar bicampeão europeu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.