O antigo jogador do Benfica António Simões considerou que os deslizes recentes da equipa lisboeta «aqueceram mais ainda» o jogo de sexta-feira com o FC Porto, no qual os rivais discutem a liderança da Liga de futebol.

Para o ex-internacional português, o jogo da 21.ª jornada da prova «vai decidir muita coisa», admitindo que o FC Porto surja no Estádio da Luz melhor psicologicamente, depois de o Benfica ter sido apanhado no comando pelo campeão nacional, ao perder cinco pontos nas últimas duas rondas.

«É entusiasmante, porque a perda de cinco pontos do Benfica nos últimos dois jogos pôs o FC Porto em primeiro lugar com vantagem na diferença de golos. Aqueceu mais ainda. O jogo já era interessante e com os últimos resultados do Benfica passou a ser mais interessante», observou Simões em declarações à Agência Lusa.

O antigo extremo benfiquista, que jogou ao lado de Eusébio, sustentou que o encontro «era mais importante para o FC Porto» antes de o Benfica ter perdido por 1-0 em Guimarães e empatado 0-0 com a Académica, mas «passou a ser importante para os dois» clubes, com ligeira vantagem até para o clube portuense.

«O alento do FC Porto é maior agora porque o Benfica perdeu pontos. Nessas circunstâncias, psicologicamente, o FC Porto parece-me estar melhor em função dos resultados. O Benfica joga em casa e se quer voltar a liderar tem que ganhar. Não pode agir de outra forma», notou.

Simões anteviu «um jogo aberto», advogando que o vencedor ganhará um impulso decisivo na luta pelo título e o derrotado pode vir a sofrer as consequências da aproximação do Sporting de Braga, terceiro classificado, a três pontos de distância do duo da frente.

«Seguramente, não tenho dúvidas disso. Quando alguém diz que o jogo não vai decidir nada... Era o que faltava se não decidisse nada. Vai decidir muita coisa. Vai decidir de uma forma direta e também daquilo que vem a seguir ao jogo. Vai ter o peso do resultado, vai ter o peso de quem lidera, vai ter o peso no ‘day after’ e vai ter o peso no jogo ‘after’», advertiu.

Simões garantiu ter sido «muito feliz nos jogos com o FC Porto», pois marcou «muitos golos» ao rival portuense, recordando «com grande orgulho e satisfação» a vitória por 1-0 a 23 de janeiro de 1972, graças a um golo de cabeça do antigo extremo “encarnado”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.