O director geral da SAD da União de Leiria, Mário Garrido, assumiu hoje que existe um “plano C” caso a equipa não possa jogar a próxima Liga no Estádio de Leiria ou na alternativa até agora avançada, Torres Novas.

“Todos nós temos interesse em que a União de Leiria jogue no Estádio Magalhães Pessoa [em Leiria]. Andamos a conversar, temos tido reuniões diárias e continuamos a tentar um equilíbrio com a Câmara e a Leirisport”, disse o responsável na apresentação da equipa para a nova época.

Mário Garrido garante que Torres Novas “não deixou de ser uma possibilidade”, mas revelou existir “um plano C” caso falhem as duas hipóteses:

“Temos de estar preparados. Não faz muito sentido sair de Leiria, mas se não tivermos alternativa... Tudo isto custa dinheiro, as SAD têm dificuldades e temos de pagar... Tem de haver um equilíbrio”.

Questionado sobre qual a alternativa a Leiria e Torres Novas, a resposta surgiu do director desportivo, Rodolfo Vaz: “Está no segredo dos deuses”.

Mário Garrido avançou ainda que tem sido feito “um esforço” para abstrair a equipa de futebol da discussão sobre o estádio a usar na nova época:

“Queremos que isto atinja o mínimo possível o Lito Vidigal e os jogadores. E a única promessa que podemos fazer é que vamos tentar pôr a União a jogar no estádio Magalhães Pessoa”.

O técnico dos leirienses, Lito Vidigal, assumiu que sentirá “pena” se a União sair de Leiria:
“Respeito todas as posições mas peço alguma sensibilidade das partes. Espero que encontrem o melhor caminho para a União de Leiria continuar a trabalhar perante os seus adeptos. É uma pena se tivermos de mudar de cidade”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.