A pressão era grande para o exame com a Académica de Coimbra. Os pupilos de Paulo Bento ainda não tinham acertado com a lição das vitórias nesta temporada, mas o pupilo mais profícuo, Liedson, abriu o caminho dos três pontos.

No entanto, o desafio esteve longe de ter sido um passeio para os leões. Perante cerca de 10 mil espectadores, a equipa voltou a demonstrar algumas debilidades na primeira parte, sobretudo a nível ofensivo, onde Matías Fernandez continua um 'corpo estranho' na movimentação da equipa. Aliás, a fraca qualidade de jogo das duas equipas indiciava mais um nulo nesta Liga.

Mas quem tem Liedson tem golos. O 'Levezinho' andava divorciado da baliza adversária e tudo lhe parecia correr mal. Até que ao minuto 64, Vukcevic fugiu pelo lado esquerdo e cruzou com conta, peso e medida. E Liedson, com a cabeça no sítio certo, fez o que lhe é mais habitual: golos. Um regresso importante, na antecâmara da sua estreia pela selecção nacional, contra a Dinamarca, no dia 5 de Setembro.

O golo teve o mérito de elevar o rendimento dos seus colegas. A partir daí, o Sporting esteve sempre mais perto do segundo golo do que a Académica de chegar ao empate. Rogério Gonçalves ainda efectuou várias alterações, mas a expulsão de Miguel Pedro, aos 76 minutos, condenou o destino da Académica.

Contra 10 jogadores, os leões atacaram com maior contundência e foi sem surpresa que chegaram ao 2-0. Yannick só teve de encostar o pé à bola para fechar uma bela jogada na linha de fundo de Carlos Saleiro.

Paulo Bento sai de Coimbra com os três pontos, mas o triunfo não apaga as fraquezas do Sporting. Todavia, é o primeiro passo para recuperar... a tranquilidade.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.