O SC Braga - Sporting, da 28.ª jornada da I Liga, só se joga no dia 31 de março, sábado, mas a 'luta' já começou na imprensa, com os dois clubes a trocarem argumentos a respeito de dívidas.

Na base da troca de argumentos entre os dois emblemas está a transferência de Rui Fonte do SC Braga para o Fulham, operação realizada no mercado de verão de 2017, e que teve influência também na mudança de Rodrigo Battaglia, dos minhotos para os 'leões. Os minhotos reclamam uma dívida de um milhão de euros aos ‘leões’.

Nuno Saraiva, diretor de comunicação do Sporting, veio a terreno explicar a dívida por Rodrigo Battaglia.

"A dívida do Braga remonta a Julho de 2017, data da transferência dos jogadores. A do Sporting, que nós não negamos, venceu a 15 de Fevereiro de 2018. Dois dias depois já o Braga tinha plantado na imprensa que o Sporting CP estava em incumprimento. Mas sobre as suas dívidas, calou-se muito caladinho – quem sabe, a ver se escapava –, e fomos nós que tivemos que andar a perguntar à MLS e ao Fulham quais os montantes em causa para reclamarmos, junto do Braga, aquilo que nos é devido", escreveu, nas redes sociais.

Na sequência desta intervenção, o SC Braga explicou a origem da dívida que tem com o Sporting. Esta segunda-feira, os arsenalistas transferiram 70 mil euros (3.084 euros + IVA) referente a 50 por cento dos valores do mecanismo de solidariedade das transferências de Pedro Santos, do SC Braga para o Colombus Crew da Major Soccer League dos EUA, e de Rui Fonte para o Fulham. A restante verba será paga a 31 maio de 2018 (Pedro Santos) e 20 de julho de 2018 (Rui Fonte), conforme as tranches a receber pela SAD minhota do Columbus Crew e do Fulham FC, respetivamente, de acordo com o jornal Record.

Mas o Sporting defende que os números são outros. Os 'leões' reclamam uma dívida de 360 mil euros e não apenas 180 mil euros (70 mil dos quais já pagos hoje pela formação minhota).

"O SC Braga devia ontem ao Sporting um total de 361.044,62 euros relativos a mecanismo solidariedade Rui Fonte (81.971,05), Pedro Santos (3.793,39), bilhetes não pagos na época 2016/17 e 2017/18 (7.460,00) e crédito cedido pelo Braga à LACO (181.983,74). Ainda fica a dever uma segunda prestação de 81.971,05 pelo Rui Fonte e 3.793,39 pelo Pedro Santos. Estes valores já incluem IVA (menos o da LACO, por não ser necessário). Assim, a dívida do Sporting ao Braga é de 639.027,38 e não de um milhão de euros", disse fonte leonina ao jornal Record.

Os bracarenses responderam no mesmo jornal, negando qualquer dívida com o Sporting relacionada com bilhetes.

"É falso que haja bilhetes por pagar. Essas faturas estão liquidadas pela SAD. O que não está pago são danos provocados no estádio do SC Braga por adeptos do Sporting, relativos às épocas 2015/16 e 2016/17 e que totalizam 17.527,50 euros", esclarece fonte minhota.

"Com a transferência do Battaglia para o Sporting transitou um crédito detido pela LACO (181.983,74 euros). O que ficou acordado entre o Sporting e o Sp. Braga no dia 3 de julho de 2017 foi que esse crédito seria compensado na prestação que vencia a 15 de Fevereiro de 2018. Ou seja, o Sporting continua a ter de pagar um milhão de euros, mas a duas entidades [818.016,26 euros ao SC Braga e 181.983,74 euros à LACO]", referiu fonte do SC Braga ao Recorde, explicando depois o negócio Battaglia.

"Com a transferência do Battaglia para o Sporting transitou um crédito detido pela LACO (181.983,74 euros). O que ficou acordado entre o Sporting e o SC Braga no dia 3 de julho de 2017 foi que esse crédito seria compensado na prestação que vencia a 15 de Fevereiro de 2018. Ou seja, o Sporting continua a ter de pagar um milhão de euros, mas a duas entidades [818.016,26 euros ao SC Braga e 181.983,74 euros à LACO]", referiu a fonte minhota.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.