Os clubes profissionais portugueses podem avançar para o corte de salários já em abril. A medida tem sido discutida entre os vários emblemas e poderá ter lugar já no próximo mês.

Com as competições paradas e as receitas praticamente congeladas em virtude da pandemia do novo coronavírus, em vários países os principais clubes tomaram já a decisão de reduzir os salários dos seus jogadores, de forma a não entrarem em incumprimentos financeiros, e em Portugal tal também deverá vir a acontecer em breve.

De acordo com a edição desta quinta-feira do jornal 'Record', os clubes profissionais esperam ainda por uma tomada de posição por parte do Governo em relação a questões laborais, mas estão já a conversar entre si para que a medida seja aplicada em todos os clubes da mesma forma.

Nenhum clube avançará para os cortes de forma unilateral e cada um conversará com os respetivos futebolistas antes de avançar com os referidos cortes. O objetivo passa por salvaguardar os jogadores com salários mais baixos, devendo assim ser criados diferentes escalões nesta medida, com os futebolistas com salários mais altos a serem os que terão um corte mais elevado.

Também o Sindicato dos Jogadores deverá ser ouvido nesta situação e Joaquim Evangelista, presidente do organismo, já referiu que os atletas estão recetivos ao diálogo, ainda que sublinhe que não poderão ser apenas os futebolistas a ser afetados pelos ditos cortes.

"É injusto querer fazer o reajustamento apenas à custa dos jogadores. Não podem ser só eles a fazerem sacrifícios. A haver cortes salariais, terá de ser feita uma quantificação das perdas dos clubes", sublinhou Joaquim Evangelista, citado pelo Record.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.