O presidente do Sporting, Godinho Lopes, anunciou hoje, em entrevista à RTP, a rescisão por mútuo acordo do contrato com o director-geral José Couceiro, contratado pelo anterior presidente José Eduardo Bettencourt para responsável por todo o futebol.

Couceiro ainda chegou a ser apontado como potencial director da Academia, tendo em conta a sobreposição de funções com as de Luís Duque, actual responsável pelo futebol profissional do clube, mas as duas partes acabaram por concluir que a melhor solução seria a rescisão do contrato.

Godinho Lopes anunciou, ainda, a renovação do contrato do guarda-redes Tiago por mais uma época e a rescisão contratual com o guarda-redes sérvio Stojkovic.

«José Couceiro sai por mútuo acordo. Foi uma rescisão amigável. José Couceiro teve um papel fundamental, pois passou por duas fases conturbadas, às quais foi alheio, com as saídas do presidente e do treinador», anunciou Godinho Lopes, observando que o ex-director-geral para o futebol «prestou um excelente serviço ao Sporting».

Para Godinho Lopes, José Couceiro, que substituiu Paulo Sérgio no comando da equipa de futebol após a rescisão do treinador, não tinha lugar no clube lisboeta «nesta fase da vida do Sporting», mas o presidente “leonino” defendeu que «tem todas as qualidades para poder servir o Sporting nos órgãos federativos».

O dirigente "leonino" adiantou: «É fundamental estarmos presentes na Liga e na federação. Hermínio Loureiro e José Couceiro são nomes possíveis».

O presidente do clube de Alvalade precisando ainda que Luís Duque, o homem forte do futebol sportinguista, também «vai mandar na Academia» do clube.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.