O especialista em direito desportivo, José Manuel Meirim, considerou que as declarações de Jorge Jesus após o encontro com o FC Porto são «passíveis de abertura de um procedimento disciplinar ao nível dos órgãos próprios da Federação Portuguesa de Futebol».

«Há imputação que me parece clara, pelo menos ao nível dessas reproduções, de uma conduta dolosa por parte do árbitro no sentido de contrariar as leis do jogo a que está sujeito. Há um juízo de desonestidade que é endereçado ao árbitro. Dizer-se que o árbitro viu e decidiu no sentido contrário àquilo que impunham as regras, ou seja, assinalar o fora de jogo é algo que atenta contra a dignidade e a reputação desse membro da equipa de arbitragem», disse em declarações à TSF.

Após a derrota, Jesus disse que no terceiro golo do FC Porto, que garantiu a vitória portista (3-2), «o auxiliar não viu porque não quis» o fora de jogo de Maicon e que foi a equipa de arbitragem quem «derrotou» o Benfica.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.