Ao sexto jogo do Sporting na sua pré-época, a equipa de Jorge Jesus somou a quarta derrota. Depois de PSV, Zenit e Mónaco, este sábado foi a vez do Lyon deixar o leão KO. Muito se tem dito que ‘não é como começa, mas sim como acaba’; porém, este início de 2016/17 em Alvalade evidencia um trajeto demasiado sinuoso para o tempo de trabalho já decorrido sob as ordens de Jorge Jesus.

Num dia mais convidativo para a praia do que para o futebol, os leões contaram com o apoio de 30.008 adeptos no seu reduto, que não quiseram perder a primeira aparição das estrelas leoninas. Contudo, entre o firmamento leonino faltava uma das estrelas mais reluzentes: João Mário não esteve presente - foi o único dos campeões europeus a falhar a apresentação - e adensou dessa forma os rumores da sua saída do clube.

Quanto às primeiras escolhas, realce para a estreia de dois reforços em Alvalade no onze inicial, com Petrovic e Alan Ruiz a poderem mostrar o que valem. Todavia, nem um nem outro conseguiram brilhar. Se o avançado chegou a estar perto do golo, apesar de notória falta de entrosamento e ritmo, o médio sérvio deixou muito a desejar no meio-campo, face À pouca agressividade e capacidade de dar fluidez ao jogo.

Apesar disso, os leões até entraram bem e logo aos nove minutos podiam ter chegado ao golo, por intermédio de Barcos. O experiente avançado atirou ao poste, na sequência de um cruzamento rasteiro de Gelson Martins. O jovem extremo, aliás, foi uma das melhores unidades enquanto esteve em campo, denotando boa velocidade e irreverência. Nesta fase, o maior perigo nascia precisamente no flanco direito, graças também à boa atuação de Schelotto.

A partir dos 30 minutos, o Lyon subiu claramente de produção e terminou a primeira parte na mó de cima. O vicecampeão francês esteve mesmo à beira de marcar, mas o cabeceamento de Lacazette, aos 34', saiu ao lado da baliza de Azbe Jug. Assim, o nulo resistiu até ao apito para o intervalo.

Ao intervalo, Jorge Jesus começou a mexer as peças do seu tabuleiro. Entraram Rui Patrício, Podence e João Palhinha para os lugares de Azbe Jug, Barcos e Bruno César. O leão reagiu e aos 51 esteve muito perto do golo, com o jovem Podence a isolar Alan Ruiz e este a atirar ao lado da baliza francesa.

Quem não marca, sofre. É uma velha máxima que se renova a cada jogo e que hoje teve nova prova de vida, pois o Lyon respondeu logo de seguida com o golo do triunfo. Aos 53, Lacazette antecipou-se à defesa leonina – que voltou a mostrar muitas falhas – e cabeceou para o golo do Lyon. O Sporting já não estava no seu melhor e acusou o golo sofrido, deixando que o Lyon ameaçasse o segundo, por Fekir e novamente por Lacazette.

Foi preciso Jorge Jesus voltar a mexer para o leão acordar. Saltaram para dentro de campo Slimani, Matheus Pereira, Iuri Medeiros, aos quais se juntaram pouco depois Naldo, Jefferson e João Pereira. O Sporting lançou-se então em busca do empate e pressionou a equipa gaulesa. O golo esteve perto de acontecer aos 70’, mas o poste negou a festa ao cabeceamento de Coates, na sequência de um livre. Depois, faltou a eficácia e a clarividência necessária para desmontar um Lyon astuto e já com bom ritmo de jogo.

O Sporting apresentou-se assim com uma derrota e mostrou que os campeões europeus e a chegada de mais alguns reforços é necessária para o crescimento e as ambições em Alvalade para a nova época.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.