O plantel do Desportivo das Aves retomou os treinos no relvado, de forma individualizada e sem a realização de testes de despistagem à pandemia de COVID-19, anunciou hoje o último classificado da I Liga de futebol.

“Sempre com a preocupação de garantir ao máximo a segurança dos profissionais do plantel às ordens de Nuno Manta Santos, todos seguiram o plano previamente traçado pelo departamento médico do clube, em consonância com as regras da Direção-Geral da Saúde”, lê-se em comunicado publicado pelos nortenhos no sítio oficial na Internet.

Os avenses aproveitaram a entrada do país em situação de calamidade no domingo, após três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março, para voltar aos relvados sob redobradas medidas de distanciamento, quase um mês e meio após a suspensão da I Liga, que será reatada à porta fechada a partir de 30 e 31 de maio.

“Este regresso obrigou à gestão de um horário que levou a que os 24 profissionais do plantel fossem divididos em grupos de três jogadores, que trabalharam individualmente durante uma hora até ao final da tarde. Repartidos pelo relvado do estádio do CD Aves e por outro relvado de apoio, junto ao pavilhão do clube, os atletas voltaram a poder evoluir ao ar livre, sempre com o material devidamente higienizado a cada turno”, prossegue.

Nesse tapete sintético do complexo desportivo do Desportivo das Aves treinaram 10 futebolistas da equipa sub-23, sob orientação do técnico Leandro Pires, após terem assistido à conclusão antecipada da Liga Revelação em 08 de abril, podendo funcionar como uma reserva à disposição do plantel principal para o resto do campeonato.

“Durante esta primeira fase de regresso ao trabalho para recuperar condições físicas que permitam competir em junho, tal como preconiza o plano traçado pela Liga, a temperatura dos atletas foi monitorizada à chegada, antes de passarem para as mãos dos preparadores físicos, munidos do respetivo equipamento de proteção individual”, explica.

O ciclo de trabalho evoluirá para treinos coletivos e testes de despistagem ao novo coronavírus na segunda metade de maio, numa altura em que os avenses estão sem qualquer caso no boletim clínico, já que o defesa brasileiro Jaílson e o avançado iraniano Mehrdad Mohammadi debelaram as respetivas luxações no ombro.

“Cada profissional acedeu ao relvado pelo portão lateral, junto à bancada de imprensa, mantendo-se desta forma a zona técnica intacta em termos de circulação. Equipados de casa, os jogadores treinaram e recolheram ao domicílio para tomar banho”, termina a nota dos nortenhos, que anteciparam 20 dias de férias em abril.

A realização dos 90 jogos do campeonato, que é liderado pelo FC Porto, com um ponto de vantagem sobre o campeão Benfica, e da final da Taça de Portugal, entre ‘dragões’ e ‘águias’, ainda está sujeita à aprovação por parte da Direção-Geral da Saúde de um plano sanitário apresentado ao Governo pela Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).

O Desportivo das Aves pediu esclarecimentos à Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e à LPFP na semana passada sobre o regresso do principal escalão​​​​​​​, numa carta assinada pelo administrador da sociedade anónima, o chinês Wei Zhao, em que levanta dúvidas sobre os contratos e a segurança dos atletas em plena pandemia.

O emblema do concelho de Santo Tirso tem atravessado uma série de contrariedades desportivas, diretivas e financeiras desde agosto e falhou há um mês a regularização salarial de jogadores e funcionários entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020.

A SAD justificou as dívidas com a paralisação da atividade económica na China, motivada pela pandemia da covid-19, mas o processo seguiu da LPFP para o Conselho de Disciplina da FPF em 03 de abril, cinco dias antes de os dois primeiros meses do ano começarem a ser pagos.

Mesmo assim, o guarda-redes francês Quentin Beunardeau e o avançado brasileiro Welinton Júnior rescindiram os vínculos com os avenses, que podem perder dois a cinco pontos, face aos 13 somados em 24 jornadas da I Liga, nove abaixo da zona de salvação.

A administração e os jogadores continuam em conversações para tentar firmar um acordo salarial relativo aos últimos dois meses, numa altura em que o pagamento dos ordenados de março já venceu e a liquidação de abril está aprazada para esta semana.

Os campeonatos de futebol de França e Holanda já foram cancelados devido ao novo coronavírus, enquanto países como Alemanha, Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal vão preparando o regresso gradual à competição a partir das próximas semanas.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 247 mil mortos e infetou mais de 3,5 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.063 pessoas das 25.524 confirmadas como infetadas, e há 1.712 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.