O antigo presidente da Assembleia Geral do Sporting, Dias Ferreira, formalizou esta quarta-feira a sua candidatura à presidência do clube de Alvalade e fez questão de garantir que a sua corrida à liderança leonina é 'muito diferente' da de 2011.

"É uma candidatura muito diferente da de 2011, está ultrapassada. Agora temos um novo cenário, de muitos candidatos. O que me levou foi conseguir reunir a equipa que pretendia, uma excelente equipa, menos eu e mais nós. A outa teve muito o meu rosto e agora não", afirmou Dias Ferreira, citado pelo jornal Record.

Em relação ao elevado número de candidatos às eleições do Sporting, Dias Ferreira considera que será difícil debater todos os temas em destaque.

"É um bocado difícil debater os temas todos em debates, fica diminuída a capacidade de as pessoas transmitirem as suas ideias. Há uns anos fui o primeiro a propor uma segunda volta, assim não quiseram. Hoje estamos perante cinco, seis ou sete candidatos, ainda não se sabe bem. Que as pessoas meditem que essa modificação seja feita. Durante sete anos ninguém falou nela. Agora toda a gente diz que são muitos candidatos, mas na altura se calhar as pessoas pensavam como os candidatos pensam agora, mas não o disseram nem o fizeram", disse Dias Ferreira.

Sobre a possibilidade de haver junção de listas, o candidato Dias Ferreira garantiu que da sua parte esse é um cenário não se coloca.

"Da minha parte não há possibilidades porque deu-me trabalho e tempo a fazer uma equipa e muito raramente abdico de alguém para que entre outra pessoa. Estamos numa sintonia de valores e princípios da qual não vou abdicar. Agora toda a gente quer falar em consensos e reuniões. Eu estive a trabalhar no tempo em que devia trabalhar, a construir uma equipa. Conversei com as outras listas, estava tudo fechado, e portanto verifiquei que não conseguia reunir com essas pessoas e não percebi porquê. Havia ideias à volta das quais nos devíamos reunir, que eram os interesses do Sporting. Mas tinha de ser gente nova, gente velha, de meia-idade… Vários argumentos, a meu ver não válidos. As pessoas se calhar pensavam que eu anunciei a candidatura sozinho porque não conhecia ninguém, mas são 40 anos, conheço muita gente, temos sintonia de princípios e valores. As coisas fazem-se passo a passo. Não esta prevista fusão de coisa nenhuma. Pode é haver desistências. Eu não vou desistir", atirou Dias Ferreira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.