O FC Porto tem um domínio avassalador nos confrontos caseiros com o Benfica a contar para a I Liga portuguesa de futebol, com 50 ‘redondos’ triunfos contra apenas 13 do rival, em 82 jogos.

Num duelo que acabou empatado em 19 ocasiões, os ‘azuis e brancos’ dominam também claramente em termos de golos, com 162 marcados e 95 sofridos, sendo que os ‘encarnados’ só lograram triunfos seguidos uma vez (três, entre 1974/75 e 76/77).

Um golo ‘tardio’ de André André, aos 86 minutos, selou as ‘bodas de ouro’ dos portistas, que, no último quarto de século, só perderam em duas ocasiões.

Depois do famoso ‘bis’ de César Brito, que decidiu a favor dos ‘encarnados’ o título de 1990/91, a equipa da Luz só conseguiu vencer em 2005/06 e 2015/16, com outros ‘bis’, de Nuno Gomes e do brasileiro Lima, respetivamente.

Estes dois triunfos são, porém, exceções, já que, nos restantes 23 embates, o FC Porto ganhou 18 e só cedeu cinco empates (0-0 em 1991/92, 3-3 em 1993/94, 1-1 em 2004/05 e 2008/09 e 2-2 em 2011/12).

Destaque, nestes 25 anos, para o período entre 1994/95 e 2003/2004, no qual o FC Porto conseguiu 10 vitórias consecutivas, seis das quais por dois ou mais golos de diferença. O brasileiro Mário Jardel marcou cinco vezes.

Com a mudança das Antas para o Dragão, que se estreou no clássico em 2004/05, o Benfica melhorou, conseguindo pontuar cinco vezes, em 12.

Por seu lado, os portistas triunfaram sete vezes, com destaque para a histórica goleada por 5-0 conseguida em 2011/12 pelo ‘onze’ de André Villas-Boas, que viria a acabar o campeonato invicto e com apenas três empates.

Um tento de Silvestre Varela, dois do colombiano Radamel Falcao e outros tantos do brasileiro Hulk, um de penálti, selaram a ‘manita’, perante o conjunto de Jorge Jesus.

Para a lenda entrou também a vitória por 2-1 de 2012/13, com um golo do brasileiro Kelvin, aos 90+1 minutos. Lima ainda adiantou os ‘encarnados’, mas o FC Porto deu a volta, chegando ao empate com um autogolo do agora portista Maxi Pereira.

Com esse triunfo, o FC Porto ultrapassou os ‘encarnados’ na tabela, a uma ronda do final, acabando por selar o título, o seu derradeiro, na Mata Real. Depois desse desaire, o Benfica ganhou os últimos três campeonatos.

A história dos clássicos em reduto portista para a I Liga arrancou em 1934/35 e os ‘azuis e brancos’ começaram muito bem, mantendo-se invictos nos primeiros oito (cinco vitórias e três empates), para cederem a primeira derrota em 1942/43 (4-2).

Até ao início da década de 50, o Benfica ainda venceu mais três vezes, mas o FC Porto mostrou-se insuperável de 1950/51 a 61/62 (10 vitórias e dois empates), num período em que se destacam três triunfos consecutivos por 3-0 (54/55 a 56/57).

Em 1962/63, um golo do ‘inevitável’ Eusébio valeu uma vitória por 2-1 e o fim do jejum de triunfos do Benfica, que só voltaria a ganhar em 1969/70: a essa derrota, o conjunto da casa respondeu com a segunda maior goleada de sempre (4-0 em 70/71, com quatro tentos de Lemos).

A década de 70 acabou, no entanto, por ser o melhor período dos ‘encarnados’, que em 1971/72 ganharam por 3-1 e conseguiram, depois - pela primeira e única vez em solo portista -, três triunfos consecutivos, entre 74/75 e 76/77.

Em 1977/78, o FC Porto colocou um ponto final numa ‘seca’ de 18 épocas sem chegar ao título e, depois disso, iniciou também um período de ainda maior superioridade nos jogos caseiros com o Benfica - 27 vitórias, nove empates e apenas três derrotas, em quase quatro décadas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.